Secretário de Turismo, José Fábio Nougueira pede exoneração do cargo

Na semana passada, após relatório final da CPI da Cultura, Legislativo recomendou que o Executivo exonerasse o chefe da pasta

PRUDENTE - THIAGO MORELLO

Data 06/07/2020
Horário 14:44
Arquivo - Fábio Nougueira atuou nas pastas de Cultura e Turismo Foto: Arquivo - Fábio Nougueira atuou nas pastas de Cultura e Turismo

O atual secretário municipal de Turismo de Presidente Prudente, José Fábio Sousa Nougueira, acaba pedir de exoneração do cargo ao prefeito Nelson Roberto Bugalho (PSDB). Na semana passada, após relatório final da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Cultura, o Legislativo prudentino recomendou que o Executivo o exonerasse da pasta.

“Em defesa da paz e honra da minha família [esposa e filhas], e atendendo a um pedido dela, solicito em caráter irrevogável a minha exoneração do cargo público de secretário municipal de Turismo. Registro a grande honra que senti - e sinto - em ter feito parte da sua equipe. Combati o bom combate”, disse Fábio.

A reportagem voltou a procurar o até então secretário, mas ele disse que nada mais tem a declarar sobre a situação. A Prefeitura ainda não se posicionou sobre o pedido de exoneração.

 

Relatório final

O chefe da pasta foi alvo da CPI da Cultura, pasta na qual atuava antes de assumir a Setur (Secretária Municipal de Turismo). A mudança foi feita logo após as investigações da comissão iniciarem por parte da Câmara Municipal de Presidente Prudente, que recomendou o afastamento de Fábio do antigo cargo.

A CPI apurou denúncias formuladas pelo COMUCPP (Conselho Municipal de Política Cultural), professores e alunos da Escola Municipal de Artes Jupyra Cunha Marcondes contra a Secult (Secretaria Municipal de Cultura). Além do secretário, as acusações caíram sobre outros três servidores municipais. As denúncias giram em torno de situações de abuso de autoridade, assédio moral e coação a servidores públicos.

Na semana passada, como divulgado por esse diário, o relatório final da CPI foi votado pela casa de leis de Prudente, em sessão ordinária, de modo que todos os vereadores optaram por aceitar as acusações e encaminhar o documento às autoridades competentes, a fim de dar continuidade nas investigações: a Prefeitura, o MPE (Ministério Público Estadual) e a Polícia Civil. Para formular o parecer foram ouvidas 64 pessoas.

Veja também