Serviços de transporte ficarão mais caros

PRUDENTE - Victor Rodrigues

Data 05/02/2015
Horário 07:42
 

Com o aumento no valor dos combustíveis no dia 1º de fevereiro, os serviços de transporte de carga, assim como dos taxistas e mototaxistas, ficarão mais caros nos próximos dias. Segundo os representantes das categoriais em Presidente Prudente, por enquanto, os preços estão congelados, mas, em decorrência dos reajustes, também sofrerão alterações. Eles alegam a necessidade de acompanhar a alta do mercado para não sofrer prejuízos. O preço médio do litro do diesel hoje é de R$ 2,80, sendo que sofreu uma variação menor dos que os outros combustíveis, de R$ 0,20. O preço do litro do etanol reajustado nos postos da região pode variar de R$ 1,99 a R$ 2,19. Já o da gasolina pode ser encontrado entre R$ 3,15 e R$ 3,32.

Jornal O Imparcial Com o acréscimo no preço do diesel, serviços de transportadoras também ficarão mais caros

De acordo com Natal Aparecido Brulholi, presidente do Sindicato dos Taxistas de Presidente Prudente, a projeção de aumento é de 12,88% nas bandeiras 1 e 2. A bandeira 1 vale R$ 2,63 por quilômetro percorrido, e com a proposta de reajuste, subiria para R$ 2,96. Já a bandeira 2 – válida das 20h às 6h e aos domingos e feriados – custa R$ 3,26, e passaria para R$ 3,67. "A tabela com a proposta será protocolada na prefeitura nesta quinta-feira ", comenta.

Depois de ser protocolada, a planilha é encaminhada à Semav (Secretaria Municipal de Assuntos Viários e Cooperação em Segurança Pública) para análise, e ainda passa por outros órgãos competentes até ser aprovado o pedido de aumento. O presidente informa também que, geralmente, a aprovação do valor é sempre menor que o percentual sugerido pela categoria. "De fato, teremos reajuste, mas sempre fica menor do que o indicamos. O processo todo, até a aprovação, deve se concluir em 60 dias. Ou seja, praticaremos o novo valor somente entre o final de março e o início de abril", explica.

O setor de mototaxi prevê aumento de R$ 1 no valor da corrida após o carnaval. "Vamos segurar o preço, por enquanto. Se a procura pelo nosso trabalho fluir bem com o volta dos estudantes, não mexeremos nos valores, até para não encarecer. Mas, se sentirmos uma queda, faremos a alteração", afirma Vicente dos Santos, presidente do Sindicato dos Mototaxistas de Prudente.

Antônio Carlos Fernandes, presidente da Setcapp (Sindicato das Empresas de Transportes e Cargas e Logística de Presidente Prudente e Região), informa que o reajuste da categoria é analisado pelo Conet (Conselho Nacional de Estudos Tarifáticos), que tem uma reunião programada para este fim de semana para tratar do assunto. "Ainda não sabemos como vai fechar. Porém, acredito que o percentual aumente cerca de 10%", comenta. Ele frisa também que o índice é apenas uma sugestão do conselho que o sindicato se apoia. "Não é algo imposto. As empresas têm livre comércio e podem variar seus preços baseados na questão da concorrência", destaca.

 

Impacto no mercado


O economista Álvaro Barboza dos Santos, de Prudente, diz que o aumento do setor é inevitável. "Quando o combustível sobe, a situação se esparrama por diversos setores da economia, principalmente os que lidam com transporte", relata.

Barboza presume que os produtos alimentícios também poderão sofrer alteração, assim como mercadorias que dependem do transporte e viagens para chegarem aos mercados e demais estabelecimentos. "Não há para onde correr. O reajuste do combustível gera uma série de consequências, e é o consumidor final, a sociedade quem paga", relata.

Eder Canziani, outro economista, concorda com o colega de profissão. "Todos dependemos do combustível, seja diretamente ou indiretamente. É o combustível que influencia no valor do frete. As pessoas precisam transitar, e os produtos ser transportados", frisa.


Preços praticados


Conforme publicado em O Imparcial, na terça-feira, os postos de combustíveis da região começaram a repassar aos consumidores, no início da semana, o reajuste anunciado pelo governo federal. De acordo com o levantamento da reportagem em dez estabelecimentos, o acréscimo do etanol chegou a R$ 0,40, entre os dias 27 de janeiro e 2 de fevereiro. O preço da gasolina, porém, teve aumento máximo de R$ 0,30 neste período, e não R$ 0,39, como informamos. Isso porque, no posto Aliança, em Pirapozinho, no dia 27 de janeiro – data da primeira pesquisa – o litro da gasolina custava R$ 2,98 (veja tabela), e não R$ 2,89 como publicamos na edição de terça-feira.

 

Nas bombas


















































































































Posto de Combustível


 

Município


 
Gasolina 27/01 (R$)

 
Gasolina 02/02 (R$) Aumento (R$)

 
 Etanol 27/01 (R$) Etanol 02/02 (R$) Aumento (R$)

 

Posto Lala


Presidente Prudente 3,00 3,29 0,29 1,79 2,19 0,40
Posto Lar dos Meninos Presidente Prudente 2,98 3,28 0,30 1,88 2,18 0,30
Posto Prudentão Presidente Prudente 2,96 3,26 0,30 1,78 2,17 0,39
Posto Portal Álvares Machado 2,99 3,29 0,30 1,89 2,19 0,30
Posto Estrela Martinópolis 2,99 3,20 0,21 1,89 1,99 0,10
Posto Aliança Pirapozinho 2,98 3,28 0,30 1,99 2,19 0,20
Posto União Presidente Bernardes 2,99 3,15 0,16 1,90 1,99 0,10
Posto Amizade Santo Anastácio 2,98 3,28 0,30 1,95 2,18 0,23
Posto Primavera Rosana 3,05 3,32 0,27 2,07 2,07 0,00
Posto JM Teodoro Sampaio 3,06 3,29 0,23 2,09 2,15 0,23

Fonte: Pesquisa nos estabelecimentos

 

Não há para onde correr. O reajuste do combustível gera uma série de consequências, e é o consumidor final, a sociedade quem paga

Álvaro Barboza dos Santos,


ECONOMISTA

 

Fotos: José Reis

 

500

Bandeira de táxi poderá subir até 12,88% com o reajuste do combustível, adianta sindicato

 

501

 

 

Veja também