SP amplia distribuição de chips para estudantes da rede estadual

Iniciativa agora inclui alunos do 3⁰ ao 5⁰ ano e contempla demais faixas de renda; manifestação de interesse pode ser feita diretamente na escola

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 17/05/2022
Horário 14:37
Foto: Governo estadual
Objetivo com distribuição de chips é apoiar acesso a canais digitais de educação
Objetivo com distribuição de chips é apoiar acesso a canais digitais de educação

A Seduc-SP (Secretaria da Educação do Estado de São Paulo) está ampliando o programa de distribuição de chips de 3 GB de internet para estudantes da rede estadual. Agora, além de atender os alunos mais vulneráveis dos anos finais (6º ao 9º ano) do ensino fundamental e ensino médio, também incluiu os estudantes do 3⁰ ao 5⁰ ano e ampliou para as demais faixas de renda.

Outra mudança é que a manifestação de interesse pode ser feita diretamente na escola, sem necessidade de preenchimento em sistema.

“A inclusão tecnológica dos estudantes é fundamental para reduzir as desigualdades. Neste sentido, nosso objetivo com a distribuição dos chips é apoiar os estudantes a acessarem o Centro de Mídias e demais canais de educação, combater a evasão escolar e atuar diretamente na recuperação de aprendizagem”, afirma a secretária estadual da Educação, Renilda Peres.

De acordo com a resolução Seduc 34, de 9 de maio de 2022, os alunos que receberem os chips devem estar regularmente matriculados no ano letivo de 2022 e manter frequência escolar acima de 75%. A prioridade para receber os chips segue a ordem: 1 - alunos matriculados no ensino médio ou ensino fundamental anos finais; 2 - alunos matriculados no novo ensino médio com expansão de carga horária na modalidade Centro de Mídias SP ou na modalidade presencial e Centro de Mídias SP; 3 - alunos matriculados no 3º, 4º e 5º anos do ensino fundamental anos iniciais; 4 - alunos matriculados em atividades regulares de esportes ou artes promovidas pelas escolas.

Veja também