Tatuagem

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista que avisa: quem se morde de ciúmes machuca a boca.

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 02/03/2021
Horário 05:22

Não tenho nada contra quem "risca" o corpo com tatuagens, como o Neymar, que, aliás, está bem "riscado" tanto na frente como atrás. Por falar em tatuagem, lembrei-me do filme "A Rosa Tatuada", que tem nos papéis principais a lendária atriz italiana Anna Magnani e o ator Burt Lancaster, cuja nacionalidade todo mundo sabe de cor e salteado.
O filme é baseado na peça homônima de Tennessee Williams. Ele mesmo escreveu o roteiro do filme e, por ser o autor da peça, não deve ter tido muito trabalho para fazer a adaptação.
Por seu papel em "A Rosa Tatuada", Anna Magnani ganhou o Oscar de melhor atriz, em 1956. Ela interpreta uma viúva cujo falecido marido tinha uma rosa tatuada no peito. A mulher era apaixonada pelo marido e adorava a tatuagem que ele ostentava com certo orgulho. Mas a fila anda, a vida segue e aí apareceu o personagem do Burt Lancaster na vida dela.
A princípio, a viúva não deu bola pro sujeito, pois a lembrança do marido morto continuava bem viva. A insistência, assim como a resistência, acaba dando certo. 
Ao saber que a mulher também se lembrava da tatuagem, o paquerador mandou tatuar em seu peito uma rosa semelhante à que ornamentava o peito do falecido. 
Aí ficou mais fácil e a viúva, que ainda dava meia-sola, ficou sensibilizada com o gesto e caiu na lábia do conquistador, com quem viveu um tórrido romance que quase queimou a tatuagem.
E por falar em tatuagem, e a Anitta, hein? A cantora tem tatuagem até no...no - oh, Céus, como direi? - no, por assim dizer, anel de couro. Outro dia ela postou um vídeo em que mostrava a "operação" no "buraco" entre as nádegas.
Naquela posição em que Napoleão perdeu a guerra, Anitta, pelada, gritava de dor (ou seria de prazer?), enquanto um assessor da cantora se divertia. O tatuador também se divertia, a julgar pelos sorrisos marotos e vai ver ficou excitado com a visão à sua frente. Entre um grito e outro da artista, o tatuador limpava o, digamos, "orifício" e suas beiradas.  
Depois da "cirurgia", Anitta explicou que a tatuagem era antiga e que o "escapamento" precisava de um reparo porque já estava desbotado. Alguém aí vai imitar o gesto da Anitta?


Drops


Bolsonaro virou músico. Ele toca Lira na Câmara dos Deputados.


Se continuar nesse ritmo, os madeireiros vão derrubar até árvore genealógica.


Pelo menos 30% dos brasileiros não falam. Eles mugem.


Quem se arma até os dentes corre o risco de morrer de fome.

Veja também