Telemedicina garante acesso de presos à saúde e mais segurança à população    

Projeto piloto em presídios tem usado a tecnologia para fornecer atendimento médico na pandemia    

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 12/06/2021
Horário 14:07
Foto: AI do Governo
 Desde março, já foram feitos 126 teleatendimentos 
Desde março, já foram feitos 126 teleatendimentos 

O Governo do Estado de São Paulo, por meio da SAP (Secretaria da Administração Penitenciária), tem aplicado desde março deste ano um projeto piloto de telemedicina. Atualmente, presos custodiados em 46 unidades e que são atendidos presencialmente no Centro Hospitalar do Sistema Penitenciário, na capital, passaram a ter os retornos via telemedicina, como determina a legislação brasileira.      

Desde o início, já foram feitos 126 teleatendimentos e outros 34 deverão ser realizados até o final deste mês em várias especialidades, como cardiologia, clínica médica, ginecologia, dermatologia, infectologia, cirurgia plástica e psiquiatria.      

A consulta virtual dá agilidade ao atendimento dos custodiados, respeitando os direitos humanos, e é mais segura para a população, uma vez que evita o deslocamento de presos até o Centro Hospitalar. Os agendamentos continuarão sendo realizados na medida em que são abertas as vagas.     

Fazem parte do projeto de telemedicina as seguintes unidades da região - apenas para atendimento de retorno médico por hora, conforme rege a legislação competente: CDP de Caiuá; CDP I de Pacaembu; CPP de Valparaíso; Penitenciária de Flórida Paulista; Penitenciária de Florínea; Penitenciária de "João Augustinho Panucci" de Marabá Paulista; Penitenciária "Tacyan Menezes de Lucena" de Martinópolis; e Penitenciária de Paraguaçu Paulista.

 


 

Veja também