Tire as principais dúvidas sobre a vacinação contra a Covid-19 em Prudente

O Imparcial buscou respostas para questionamentos feitos por leitores e munícipes em geral sobre a campanha de imunização em andamento na cidade

PRUDENTE - ANDRÉ ESTEVES

Data 28/01/2021
Horário 16:14

A VEM (Vigilância Epidemiológica Municipal) de Presidente Prudente iniciou, no dia 21 de janeiro, o uso emergencial de vacinas contra a Covid-19. Até o momento, o órgão recebeu remessas de dois imunizantes, sendo 4.880 doses da Coronavac, produzida pelo Instituto Butantan em parceria com a farmacêutica chinesa Sinovac Biotech, e 3.760 da vacina desenvolvida pela Universidade de Oxford e pela biofarmacêutica AstraZeneca.

Desde então, surgiram inúmeras dúvidas da população prudentina sobre o processo de imunização. Pensando nisso, O Imparcial preparou um material com os principais questionamentos feitos por leitores e munícipes em geral em relação à campanha. As perguntas foram respondidas pela diretora da Vigilância Epidemiológica, Vania Maria Alves Silva. Acompanhe a seguir.

Quais são os grupos que podem ser vacinados contra a Covid-19 neste primeiro momento?

A Vigilância Epidemiológica Municipal imuniza, a princípio, os profissionais de saúde que atuam na linha de frente contra a Covid-19 em UBSs (Unidades Básicas de Saúde), ESFs (Estratégias de Saúde da Família), UPAs (Unidades de Pronto Atendimento), hospitais e laboratórios de análises clínicas. Também são vacinados os idosos que vivem em instituições de longa permanência (casas de repouso), bem como os trabalhadores de saúde que atuam nesses locais.

Há doses disponíveis para todos esses públicos? Caso não, como é definido a quem dar prioridade?

Não há. É por esta razão que a Vigilância prioriza os profissionais de saúde que atuam diretamente no atendimento à doença. O órgão ressalta, no entanto, que vacinará todos os profissionais que não estão dentro das unidades de saúde à medida que novas doses chegarem ao município e conforme orientações técnicas.

Quantas pessoas foram vacinadas contra a Covid-19 até o momento?

A Vigilância explica que todas as unidades de saúde lançam o número de vacinados no sistema Vacivida, um banco de dados que conta com relatórios atualizados de doses aplicadas e a cobertura vacinal dos 645 municípios paulistas. Entretanto, o órgão ainda não conseguiu extrair deste sistema o montante de imunizados em Prudente. A previsão é que o problema se resolva até este fim de semana e, já no início da semana que vem, esses dados sejam disponibilizados à população. A reportagem procurou a Secretaria de Saúde de Estado para saber se o referido sistema está apresentando instabilidades. A pasta respondeu que esse controle é de responsabilidade da Prefeitura.

Trabalho em farmácia. Sou considerado prioritário?

A Vigilância Epidemiológica diz entender que, assim como os profissionais que atuam nas unidades de saúde, aqueles que trabalham em balcões de farmácias também têm a necessidade da vacina. Por esta razão, assim que houver estoque suficiente, estenderá a imunização a eles.

Sou idoso. Posso me vacinar agora? Se não, quando poderei?

Não pode. A Vigilância informa que ainda não recebeu as grades de vacinas para a população idosa, cuja imunização será dividida por faixa etária. O órgão esclarece que, no momento em que receber as doses voltadas para este público e todas as orientações técnicas, convocará os idosos a comparecerem às unidades de saúde.

Posso escolher qual vacina quero tomar: Coronavac ou a da AstraZeneca?

Não pode. O cidadão deve tomar a dose que estiver disponível nas unidades no momento da imunização. A Vigilância esclarece que ambas as vacinas são seguras, eficazes e têm o uso emergencial aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

Como posso ter a segurança de que todas as doses enviadas ao município estão sendo aplicadas no público-alvo e não há ninguém furando a fila?

Qualquer denúncia sobre irregularidades na campanha de imunização deve ser feita à Vigilância Epidemiológica, por meio do telefone 3905-3265. Contudo, o órgão esclarece que todas as unidades de saúde e hospitais foram muito bem orientados sobre o público-alvo da campanha neste primeiro momento. Destaca que, dentro do sistema municipal de saúde, todas as instruções estão sendo devidamente seguidas, de modo que nem mesmo os profissionais que trabalham nos setores administrativos de unidades de saúde e Vigilância Epidemiológica receberão a dose no momento.

Tomei a vacina. Já posso sair de casa?

A Vigilância diz entender a ansiedade das pessoas para retomar o curso normal da vida, mas aponta que a imunização ainda não é sinônimo de quebra dos protocolos sanitários. Isso porque todos os cidadãos que garantiram a dose ainda terão que receber a segunda. A orientação é que, mesmo imunizado, o munícipe mantenha o isolamento social, evite aglomerações, use máscara e faça a higienização das mãos.

Veja também