Publicidade

Troca saudável: Carro pela bicicleta

Diariamente, é possível observar pessoas que trocaram os carros pelo transporte mais econômico, mas que exige esforço e condicionamento físico para dar as primeiras pedaladas

Esportes - ROBERTO KAWASAKI

Data 26/01/2020
Horário 04:40
Foto: Paulo Miguel - Luciano percorre aproximadamente 20 km entre sua residência e a Toledo Centro Universitário Foto: Foto: Paulo Miguel - Luciano percorre aproximadamente 20 km entre sua residência e a Toledo Centro Universitário

Mais ou menos em agosto, o arquiteto e professor universitário, Luciano Osako, 42 anos, optou por uma mudança de hábito que vem trazendo novas experiências: ele deixou de lado o carro e passou a fazer o uso da bicicleta para ir ao trabalho. Em uma semana, ele percorre aproximadamente 20 km (quilômetros) de sua residência até a Toledo Prudente Centro Universitário, onde leciona. O percurso é feito ao menos quatro vezes ao dia, o que tem garantido uma vida mais saudável.

A mudança surgiu após uma viagem ao Rio de Janeiro (RJ), onde ele observou que a mobilidade urbana com a bicicleta “é muito ativa”. “Depois da experiência, resolvi voltar com a bike de modo inteligente e sustentável, o que traz benefícios para a saúde”, explica Luciano.

E essa atitude está sendo cada vez mais comum nas ruas de Prudente. Diariamente, é possível observar pessoas que trocaram os carros pelo transporte mais econômico, mas que exige esforço e condicionamento físico para dar as primeiras pedaladas.

A mudança, segundo Luciano, chama a atenção, principalmente na empresa, o que “promove reflexão aos demais”. Tal empatia também parece surgir no Quartel do CPI-8 (Comando de Policiamento do Interior), em Prudente. Diariamente, militares estacionam seus veículos de duas rodas no bicicletário, instalado na sede do Comando.

“O maior incentivo também é a questão financeira”, afirma um tenente da Polícia Militar, de 34 anos, que pediu para não ser identificado. “A gente não costuma fazer as contas de quanto gasta com combustível, mas se parar para pensar, vai optar por uma opção mais econômica”, salienta o policial.

Escolha que também foi feita pelo soldado Humberto Gusmão Homem Dias, 37 anos. “Foi algo que surgiu desde antes de ingressar na polícia, no meu antigo emprego, por questões econômicas e físicas”, explica o soldado salientando ainda que o pedalar independe dos dias sol ou chuva. “As empresas deveriam oferecer vestiário, assim como a Polícia Militar, o que incentivará que outros possam ir ao trabalho de bicicleta, sabendo que têm local para se trocar antes de começar a rotina”, acrescenta.

 

ORIENTAÇÕES PARA QUEM

VAI SAIR DO SEDENTARISMO

Para o especialista em medicina esportiva, Breno Erbella Casari, deixar de lado o sedentarismo provoca benefícios cardiológicos e metabólicos “muito importantes”. Mas, afirma que é importante ficar atento quanto ao preparo para iniciar as atividades. “[É necessário] uma avaliação médica para minimizar os riscos cardiovasculares e osteoarticulares. Após a avaliação, estando apto o condicionamento físico gradativamente, você vai aperfeiçoando, desde que não tenha impedimento médico”, frisa o profissional destacando também a importância na hidratação “antes, durante e depois” da atividade física, assim como a ingestão de alimentos de baixo índice glicêmico, evitando os gordurosos.

 

Veja também