Uma década de UEPP

OPINIÃO - Renato Mungo

Data 23/11/2021
Horário 04:30

Nesta semana, a UEPP (União das Entidades de Presidente Prudente e Região) comemora uma década de atuação em prol de ações efetivas em conjunto com a sociedade civil e entidades de classe que forjam sua base, sempre buscando alternativas para o desenvolvimento regional e cobrando uma gestão pública participativa.
A UEPP nasceu, e se mantém, sem quaisquer preferências político-partidárias, mas consciente de que as soluções almejadas passam pelo âmbito político. Fundada pelo médico Antônio Alberto Barbosa, desde 2011, essa é sua missão; até porque, nosso intuito é construir a inserção participativa e fiscalizadora da sociedade, mas contribuindo conjuntamente, um aliado ao “bem comum”.
Como sabido, Prudente é a capital do oeste paulista, e por tamanha responsabilidade, fomenta a busca por melhorias, respostas, meios para promover o investimento social, econômico, tecnológico, empresarial e sustentável de toda região. Por isso, somos um mecanismo unificado, que tem por base, incentivar a sociedade a buscar soluções para problemas inerentes ao cotidiano da comunidade, procurando exercer o papel de importante meio de comunicação e interação.
Nessa jornada, discutimos diversos temas, como a cobrança para o retorno do transporte ferroviário; campanha Vote Consciente; fortalecimento orçamentário para as Santas Casas; transparência nas contas públicas municipais e estaduais; melhorias na aeronavegabilidade no Aeroporto Estadual Adhemar de Barros; permanência da Receita Federal em Prudente, inclusive, com a construção da sua sede própria; concessão de recursos financeiros estaduais federais no fomento do desenvolvimento econômico; combate à corrupção; regularização fundiária no Pontal do Paranapanema, tema que abordaremos no próximo dia 2 de dezembro; dentre outros. 
Nos dois últimos dois anos, enfrentamos um desafio a mais: a pandemia. Cobramos posições favoráveis aos setores da economia que foram altamente prejudicados pelas medidas de restrições exigidas pelo governo estadual.  A pandemia reforçou o quão importante é a necessidade de ações conjuntas da sociedade. 
Segundo Carlos Matus (economista chileno, 1931-1998), um defensor do planejamento estratégico, “negar o planejamento é negar a possibilidade de escolher o futuro, é aceitá-lo seja qual ele for”. Agora é hora de olhar para frente, de não adormecer para as demandas existentes, possibilidades e oportunidades de crescimento econômico regional, com foco na melhora da qualidade de vida desta população. Agradecemos todas as parcerias desses dez anos, e partimos para novas metas e desafios, afinal, momentos difíceis podem ser oportunidades de crescimento!
 

Veja também