Unidade da Fundação Casa em Bernardes deve ficar pronta em junho

REGIÃO - Bruno Saia

Data 02/05/2015
Horário 10:04
 

Atualmente passando por estágio de finalização, a nova unidade da Fundação Casa (Centro de Atendimento Socioeducativo ao Adolescente) que está sendo construída em Presidente Bernardes deve ser entregue e iniciar as atividades até junho deste ano. A informação é do vice-presidente da Fundação Casa, Cláudio Piteri. "Ainda faltam alguns pontos a serem definidos junto ao governo do Estado, mas a expectativa é de que esteja tudo funcionando até o final de junho", destaca.

A unidade irá contar com três módulos separados e que irão funcionar de maneira independente. Dois deles com 32 vagas cada um e o terceiro com 54 vagas para adolescentes infratores em suas dependências. "Cada módulo irá funcionar de forma autônoma e um deles será destinado somente aos jovens que estão sob internação provisória", detalha Piteri.

"Nossa intenção é atender a demanda regional, de acordo com a política de descentralização das unidades estipulada pelo governo estadual", completa o vice-presidente. Até a conclusão da obra da unidade em Bernardes, os adolescentes infratores detidos na região de Presidente Prudente eram encaminhados para uma das duas unidades localizadas em Irapuru, a mais de 70 km de distância.

 

Família mais próxima


A proximidade com a família é um dos principais aspectos positivos para os adolescentes infratores com a implantação de uma unidade da Fundação Casa na região. "Nós lutamos muito por isso, e estar perto de casa, dos parentes, é algo muito importante na recuperação do adolescente", destaca o promotor de Justiça da Vara da Infância e da Juventude de Prudente, Luiz Antônio Miguel Ferreira.

"Além disso, há também o aspecto jurídico o qual permite que o adolescente infrator seja ouvido pela Justiça aqui em Prudente mesmo, sem ter que fazer esse deslocamento até Irapuru", completa o promotor. Para ele, a construção da nova unidade também ajuda a reduzir a superlotação de adolescentes em outras unidades.

Sobre a situação, o vice presidente do órgão informa que "isso não ocorre", pois existe uma determinação que permite que cada unidade tenha até 15% mais jovens do que o número de vagas previsto.

Veja também