UPAs de Prudente tem 87 pacientes e 40 aguardam internação em hospitais

Ciop alega dificuldades no encaminhamento para o atendimento terciário, "o que deixa unidades lotadas e dificulta assistência prestada pelos profissionais da saúde"

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 05/05/2022
Horário 18:02
Foto: Arquivo
Na UPA da Zona Norte, 26 pacientes estão em observação e outros 26 aguardam internação
Na UPA da Zona Norte, 26 pacientes estão em observação e outros 26 aguardam internação

Mesmo com a diminuição dos casos de Covid-19, o Ciop (Consórcio Intermunicipal do Oeste Paulista) relata que as UPAs (Unidades de Pronto Atendimento) de Presidente Prudente enfrentam dificuldades no encaminhamento de pacientes para o atendimento terciário. Conforme dados atualizados nesta quinta-feira pelo consórcio, 87 pacientes estão nas unidades da Zona Norte e do Ana Jacinta em razão de patologias diversas.

Na unidade do Jardim Guanabara, 26 pacientes estão em observação e outros 26 aguardam internação. Já na UPA do Ana Jacinta, 21 pacientes estão em observação, enquanto 14 aguardam vagas nos hospitais para internação via sistema Cross (Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde).

Segundo o diretor de Saúde do Ciop, Claudio Dener, "as negativas interferem no fluxograma dos atendimentos e atrapalham a rotina dos profissionais de saúde". “Hoje, temos um grande número de pacientes aguardando liberação do sistema Cross. Essa demora do atendimento terciário deixa as unidades lotadas e dificulta os atendimentos feitos pelos profissionais de saúde”, expõe Claudio. 

Ainda segundo o diretor, "as negativas do sistema Cross apontam, na maioria das vezes, falta de leitos no HR [Hospital Regional] Doutor Domingos Leonardo Cerávolo ou na Santa Casa de Misericórdia, em Prudente". "Em algumas vezes, há uma sugestão de encaminhamento para outras instituições", pontua.

Monitoramento da situação

Em nota, o DRS-11 (Departamento Regional de Saúde) de Prudente informa que monitora a situação e está em diálogo com os gestores locais com o objetivo de oferecer a assistência necessária para a população.

Esclarece ainda que o Cross é um serviço que auxilia na transferência entre serviços. "O papel da Cross, que funciona 24 horas por dia, não é criar leitos, mas auxiliar na identificação de uma vaga no hospital mais próximo e apto a cuidar do caso. Nenhuma negativa parte deste serviço, que é apenas intermediário", afirma.

Veja também