Você conhece os tipos de exame para a Covid-19?

Mesmo depois de um ano de pandemia, muitas são as dúvidas sobre qual deles procurar e em qual dia de sintoma é possível realizá-los; tire suas dúvidas

Saúde & Bem Estar - GABRIEL BUOSI

Data 31/03/2021
Horário 04:05
Foto: Weverson Nascimento
O chamado RT-PCR, do nariz, é o que tem maior precisão de resultado
O chamado RT-PCR, do nariz, é o que tem maior precisão de resultado

Por mais que o Brasil já enfrente a pandemia há mais de um ano, ainda hoje é comum encontrar pessoas com sintomas da Covid-19 com dúvidas em relação a qual dos exames disponíveis no mercado é o mais indicado e em quais ocasiões eles devem ser procurados. E os modelos são os mais diversos, vão desde a coleta de material pelo nariz, popularmente conhecido por “teste do cotonete”, ou então por meio da coleta de sangue. Diante disso, veja abaixo quais são as opções disponíveis e como elas agem no reconhecimento da Covid-19. 

De acordo com a biomédica do Laboratório Mastellini, Isabella Brandão, a unidade em Presidente Prudente conta com cinto tipos de testes disponíveis, sendo que o mais conhecido e considerado “padrão ouro” para a Covid-19 é o chamado RT-PCR, que é feito com o “cotonete no nariz”. “De todos os testes, este é o que tem a sensibilidade maior e porcentagens maiores em relação à precisão. Ou seja, 99% de chances de o resultado estar correto”.

De forma geral, esta coleta pelo nariz resulta em um teste molecular, e é indicada para pessoas assintomáticas ou sintomáticas entre os dias três e oito de sintomas, e para pessoas que tiveram contato direto ou indireto com pessoas positivadas. 

“Esse exame consegue detectar uma carga viral mesmo se ela for baixa. O valor dele é R$ 290 e o resultado fica pronto entre três e cinco dias úteis, por se tratar de um teste de âmbito molecular”. Este modelo aponta se a pessoa está ou não com o vírus ativo no momento. 

Modelo antígeno

Também feito por coleta a partir o nariz, este é um exame que tem sensibilidade maior que 96% na precisão do resultado, e funciona na pesquisa pelo antígeno do vírus (espécie de proteína) na amostra biológica que foi coletada. “Esse exame sai no mesmo dia da coleta e é indicado para pessoas com sintomas, do segundo ao sétimo dia, e para pessoas que tiveram contato com alguém que testou positivo”, afirma Isabella. Esse requer uma carga viral um pouco maior para ser detectado, e possui valor de R$ 260.  

Teste de saliva

Exame parecido com o do antígeno, sendo que o que muda é apenas a forma de se coletar, que por este modelo é feito pela saliva e não pelo nariz. A precisão dele é maior do que 90% e o valor para a realização é de R$ 290.

Sorológico qualitativo

Segundo a biomédica do laboratório, este é um exame indicado para que a pessoa saiba se ela criou ou não anticorpos para a Covid-19, ou de forma mais popular, identificar se o indivíduo criou imunidade natural para o vírus. “No entanto, como a Covid-19 é muito nova e aprendemos a cada dia, não é possível dizer se essas pessoas realmente estarão 100% imunes”, afirma Isabella. Ele é indicado para ser feito a partir do 10º dia depois do contato com alguém positivado, e já para quem não teve contato recente, mas gostaria de saber se já criou imunidade, a escolha da data é livre. “Vale lembrar que ele não aponta se a pessoa está com o vírus ativo no momento”. O resultado sai no mesmo dia e a precisão é maior que 90%. 

Sorológico quantitativo

Este é o exame, também de sangue, que aponta se a pessoa está reagente ou não, além da quantidade de anticorpos existentes no organismo. São três dias úteis para a entrega e o valor estipulado para sua realização é de R$ 190. “Indicamos a procura por um médico caso a pessoa teste negativo, porém continue com os sintomas da Covid-19. Se necessário, o exame pode ser refeito. Ainda estamos aprendendo muito sobre o vírus”, reforça Isabella.

Foto: Weverson Nascimento 

biomética de presidente prudente explica tipos de exames de covid-19 disponíveis
Isabella Brandão, biomédica 

Veja também