WhatsApp clonado? Entenda a ação do golpista

Polícia Civil traz orientações para evitar que o estelionatário concretize o ato 

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 05/02/2021
Horário 04:20
Foto: Marcelo Camargo/ABr
Polícia orienta fazer confirmação da conta em duas etapas
Polícia orienta fazer confirmação da conta em duas etapas

Os estelionatários estão sempre em busca de inovações quando o assunto é atrair vítimas para posteriores golpes financeiros. O mais atual ocorre pela “clonagem” do aplicativo WhatsApp. Segundo a Polícia Civil, existem diversos meios de conseguir o número da vítima, no entanto, observa que a maior parte delas havia acabado de publicar anúncios em plataformas de vendas eletrônicas. 

De acordo com a Cartilha “Golpe? Tô Fora!”, desenvolvida pela investigadora de polícia, Barbara Camapum, da CPJ (Central de Polícia Judiciária) de Presidente Prudente, ao efetuarem os anúncios, as vítimas recebem um torpedo de SMS no qual consta um código de seis dígitos. Na ocasião, um bandido se passa por funcionário do aplicativo de vendas e solicita este código para ativar o anúncio. Mas o que muitos não sabem é que tal código é uma verificação do WhatsApp - ou seja, o criminoso digitou o número de celular da vítima no WhatsApp dele. 

A maior parte das vítimas havia acabado de publicar anúncios em plataformas de vendas eletrônicas
Polícia Civil

Desta forma, o código de verificação para habilitar o aplicativo de mensagens foi para o celular da vítima, por isso o bandido se aproveita deste artifício, de que necessita do código para habilitar o anúncio, induzindo a vítima a fornecê-lo. Assim que o golpista digitar os seis números que a vítima forneceu, ele desvia o WhatsApp para o WhatsApp dele, e a vítima perde o acesso ao aplicativo. Diante disso, tem acesso à lista de contatos e explica que está sem dinheiro, com a conta bancária travada ou cartão de crédito bloqueado e solicita dinheiro emprestado, se comprometendo a pagar o quanto antes. 

No ano passado, foi registrado um boletim de ocorrência na delegacia de Polícia Civil de Prudente, sobre uma pessoa que perdeu mais de R$ 3 mil ao fazer depósitos após pedidos vindos do número de telefone do suposto genro, que precisava transferir valores para o fornecedor que presta serviços a ele. Logo, descobriu que o familiar teve o aparelho clonado e que a mesma mensagem havia sido enviada para outras pessoas. 

De acordo com a Polícia Civil, quando os amigos da vítima acabam por transferir dinheiro para a conta bancária de laranjas/bandidos, logo os valores são sacados ou transferidos para outras contas.  

Orientações de politica

1- Habilitar a “confirmação em duas etapas” – no WhatsApp (clicar em ‘Configurações/Ajustes’, depois clicar em ‘Conta’ e depois em ‘confirmação em duas etapas’; habilitar senha de seis dígitos numéricos);
2- Jamais enviar para qualquer pessoa o código de seis números que chegar por torpedo SMS;
3- Caso já tenha enviado o código e caído no golpe, enviar e-mail para support@whatsapp.com pedindo a desativação temporária de sua conta do WhatsApp, explicando o que ocorreu, bem como o seu número de WhatsApp (exemplo: +55-18-99XXX-XXXX); posteriormente, após receber o e-mail do WhatsApp no prazo de 30 dias, configure-o com o seu número de celular.

SAIBA MAIS

Polícia Civil identifica pessoa suspeita de aplicar golpes na compra de celulares

Mulher perde R$ 33 mil ao cair no golpe do ‘Don Juan’

Polícia Civil lança aplicativo para celular com orientações sobre golpes

Publicidade

Veja também