É preciso se reinventar

EDITORIAL - DA REDAÇÃO

Data 21/05/2020
Horário 04:39

Neste momento, mais do que nunca, não só as pessoas físicas e jurídicas, mas também o poder público, precisam se reinventar. Especialmente os municípios que têm no comércio e prestação de serviços os principais geradores de emprego e renda, como é o caso de Presidente Prudente e de muitas cidades do entorno, se veem “entre a cruz e a espada” buscando saídas para preservar a saúde da população, ao mesmo tempo em que se desesperam com os impactos da quarentena na economia.

Desta forma, é preciso arregaçar as mangas e tentar, ao menos, minimizar tamanho efeito colateral. Algumas cidades têm buscado na Justiça a possibilidade de reabrir o comércio, desde que tomadas as devidas medidas de proteção, segurança e higiene. Seria algo como uma reabertura “consciente”. Nesta semana, este diário noticiou dois casos: Presidente Epitácio, que conquistou a liminar, e Presidente Venceslau, que não teve a mesma decisão.

Além da esfera judicial, as prefeituras têm se empenhado para auxiliar os moradores por meio de outras medidas. Em Prudente, por exemplo, foi realizada a primeira edição da Feira Drive Thru, uma maneira inovadora que os pequenos produtores rurais encontraram para comercializar seus produtos, saudáveis e fresquinhos, diretamente à população – tudo dentro dos critérios de higiene e segurança contra a contaminação da Covid-19.

Outra novidade em fase de implementação vai auxiliar os boxistas do Camelódromo. Está sendo desenvolvido um aplicativo exclusivo, para facilitar o contato dos camelôs com seus clientes. Já que o isolamento social não permite as relações comerciais como estamos acostumados, é preciso buscar meios para permitir a população de manter seu ganha-pão.

Trata-se de um grande desafio para todos. E ao contrário de muitos comentários afora, especialmente nas redes sociais, pedindo para #cancelar2020, é preciso encarar a situação de frente e dela tirar o melhor proveito possível. Como diziam os mais antigos, “há males que vem para o bem”. Lamúrias e reclamações jamais farão essa situação desaparecer. Portanto, agora é a hora de buscar soluções efetivas para restaurar a autoestima e a dignidade da população.

Veja também