O vale da morte das startups

COLUNA - Luis Isique

Data 23/05/2020
Horário 06:00

Nós temos conhecimento de várias pesquisas que retratavam que quase 60% ou mais de empresas não duravam mais que dois anos. No mundo das startups (empresas iniciantes de base tecnológica), este número é muito maior.

Tenho acompanhado este mundo de perto, atualmente realizo trabalhos de mentoria e consultoria para 20 startups em fase de ideação.

Existe um termo chamado vale da morte das startups, onde descrevem as startups que não deram certo e morreram.

Já faz tempo, li o livro “The Startup Curve J”, do autor Howard Love, e gosto da abordagem dele em relação à curva J e como exatamente as startups morrem. O autor descreve toda sua experiência e chega a algumas conclusões que irei compartilhar aqui.

Dentro do cenário avaliado por ele, 90% das startups precisam mudar seus planos iniciais de negócios, provavelmente de duas ou três vezes antes de conseguir passar o vale da morte.

Há seis fases da curva J.  O gráfico em J descreve as etapas do trabalho mais difíceis para a construção de valor da sua nova empresa ou negócio. São quatro fases iniciais, mais a fase de escala e colheita que representam a parte vertical da letra J.

Vamos nos concentrar apenas nas quatro primeiras e críticas fases, sendo elas:

1 – Criação: os empreendedores acreditam que o céu é o limite, o que vale é a ideia, a equipe e dinheiro. Pura verdade, em quase 100% dos empreendedores que tenho conversado pensam que a ideia é 100% do seu negócio, porém, a ideia vale apenas 5%, isso pode ser frustrante, mas o que vale nesse mundo é execução.

2- Lançamento: coloque o produto na mão do seu cliente, evite o perfeccionismo e faça isso rapidamente.

3- Ajuste: aprenda com os erros, se for necessário faça tudo novamente, principalmente o seu plano de negócio e faça ajustes necessários no seu produto ou serviço.

4- Modelo: você já tem toda base bem estabelecida, possui mais desafios, porém, já pode pensar em um fluxo de caixa, aumento de vendas, minimizar custos para poder investir na empresa criando assim fôlego para passar pelo vale da morte.

Essas quatro fases compõem a base da letra J considerado o vale da morte das startups, sempre repleto de desafios para os empreendedores.

Os empreendedores precisam ainda aprender três verdades com a curva J.

1 - Os ajustes valem muito mais do que os conceitos originais do produto.

2- Os feedbacks valem mais do que as vendas realizadas.

3- A flexibilidade vale mais do que a ideia inicial do negócio.

Quem não pula nenhuma fase e segue com as três verdades tem grandes chances de conseguir passar pelo vale da morte.

Sucesso para você!

E você já passou por alguma fase? Tem alguma dúvida? Comente aí na página do Facebook do Jornal O Imparcial.

Veja também