Voluntárias se dedicam à confecção de máscaras

Em função da pandemia do novo coronavírus, Grupo Amigas do Avental topou o desafio de produzir os artigos para profissionais de saúde da região

VARIEDADES - MARCO VINICIUS ROPELLI - Especial para O Imparcial

Data 05/04/2020
Horário 12:55
Cedida - 500 máscaras foram entregues pelo grupo no fim do mês à enfermagem de Junqueirópolis Foto: Cedida - 500 máscaras foram entregues pelo grupo no fim do mês à enfermagem de Junqueirópolis

“A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira”, disse certa vez o escritor Russo LievTolstoi. A frase parece simples, mas é sábia como poucas, pois a realidade destes dizeres está evidenciada em ações que ocorrem diante dos olhos. “Meu objetivo é ajudar”, disse a professora aposentada de Junqueirópolis, Maria Marli Allegretti Passos, 65 anos. Sua fala é bonita porque reflete ação. Ela e um grupo de “amigas”, que anualmente confeccionam aventais para hospitais de “Junqueira” e Dracena, toparam o desafio de produzir, voluntariamente, máscaras para os profissionais da saúde.

“Sexta-feira, de tardezinha, uma das enfermeiras da Santa Casa de Junqueirópolis me procurou e perguntou se eu conhecia alguém que costurava máscaras, pois não estavam mais encontrando para comprar. Ela dizia que haviam conversado com médicos que afirmaram que as máscaras poderiam ser de tecido, que pode, inclusive, ser reutilizada depois de lavar e esterilizar”, relata Marli.  Ela não pensou duas vezes: “Traga o tecido e vamos costurar”.

Ela conta que imediatamente mandou para o grupo Amigas do Avental o convite para o desafio, muitas ficaram inseguras, pois nunca haviam costurado coisas do tipo. “Minha neta então deu a ideia de eu gravar um vídeo com o passo a passo da confecção das máscaras, e eu fiz. Claro que antes eu realizei vários testes que passaram pela aprovação das enfermeiras”, explica a professora aposentada.

Até o dia 25, as amigas se esforçaram e produziram 500 máscaras entregues à Santa Casa de Junqueirópolis, e não pararam por aí. Depois de divulgarem a ação nas redes sociais, como prestação de contas, tecidos de algodão cru chegaram à casa de Marli de pessoas que ela sequer conhece e de locais que ele jamais imaginou. “Por isso que Deus Existe”, salienta a voluntária, que faz questão de enfatizar que não pega nem um centavo pelas confecções: os tecidos são todos doados por cidadão comuns, ou adquiridos pelas instituições de saúde, e a mão de obra é toda voluntária.

“QUEM ESTÁ PRECISANDO, NÓS ENTREGAMOS, ÀS VEZES ENTRAM EM CONTATO COMIGO, OU ALGUMA DE NÓS FICA SABENDO DA NECESSIDADE”

Maria Marli Allegretti Passos

“Quem está precisando, nós entregamos, às vezes entram em contato comigo, ou alguma de nós fica sabendo da necessidade”, comenta. A produção de máscaras de tecido continua a todo vapor. Mais 100 unidades seriam entregues a um posto de saúde de “Junqueira” e 150 para Irapuru, de onde vieram doações e onde há a necessidade.

CINCO ANOS DE

VOLUNTARIADO

Faz cinco anos que as Amigas do Avental começaram a se formar, afirma Marli. “Minha sogra foi internada em Junqueirópolis e eu percebi que faltam aventais, as famosas camisolas de hospital. Vinham aqueles de TNT, tínhamos que lavar o TNT... Então eu falei: Vou fazer alguns aventais para vocês”, conta. Depois disso, a sogra da professora aposentada foi novamente hospitalizada, desta vez em Dracena, e lá, o mesmo problema se deu, e outra vez a alma colaborativa de Marli falou mais alto.

Ela, que levou a costura sempre como uma distração, recebeu a orientação do filho para pedir doações de tecido a amigas, e as colaborações prontamente vieram, na forma de pano ou na forma de apoio em mão de obra. “No primeiro ano, entregamos 80 aventais nas duas cidades; no segundo, 190; no terceiro ano, 240; e ano passado foram entregues 299 aventais”.

(((SERVIÇO)))

Para quem deseja ajudar ou conhecer melhor o trabalho das Amigas do Avental, basta acompanhar as redes sociais, Facebook e Instagram, Marli Passos.
Para as máscaras, por indicações médicas, eles utilizam o algodão cru.
Para os aventais, utilizam tecido de lençol, listrado de azul e branco, 100% algodão.

Fotos – Cedidas


Em 2019, quase 300 aventais foram entregues a 2 cidades


Marli e o esposo preparam cortes de tecido para a confecção

Veja também