A Divina Providência

OPINIÃO - Sandro Rogério dos Santos

Data 07/11/2021
Horário 05:45

A multiplicação dos pães e dos peixes é dos mais impressionantes milagres de Jesus (cf. João 6,1-15). Para alimentar a multidão, cinco pães e dois peixes são colocados à disposição por um menino. Jesus, podendo tirar a comida do nada, como Deus criou do nada, quis contar com aquela pequena (?) oferta. E essa não foi a primeira nem a única vez que uma doação foi usada por Deus para resolver uma necessidade. Em situação similar, Eliseu recebe vinte pães e ordena a seu servo reparti-los entre cem pessoas. Frente à objeção do criado por considerar a quantidade insuficiente, o profeta insiste que distribua, pois “assim diz o Senhor: “comerão e ainda sobrará” (cf. 2 Reis 4,42-44). E assim se fez. Outro milagre de multiplicação. No caso de Eliseu, vinte pães para cem pessoas. No caso de Jesus, cinco pães e dois peixes para cerca de quinze mil pessoas. As quantidades, entretanto, não importam, são apenas referências. O que importa é o milagre da multiplicação, a providência do Senhor para com os que necessitam e a oferta requerida para prover em forma de milagre.
Os dois milagres aconteceram a partir de uma pequena oferta... Deus deseja a nossa participação ofertando. E essa oferta pode ser como a do jovenzinho do evangelho: insuficiente, bem pouco, praticamente nada. Deus quer e até a exige para agir. E quando o homem dá a sua oferta, Deus intervém multiplicando-a. O jovenzinho doou toda a comida que levava para si. Foi muito generoso. No caso de Eliseu, foi um homem que lhe deu os primeiros frutos da sua colheita. E nós, damos pelo menos do que nos sobra para que Deus faça milagres com as nossas ofertas?
“Vós abris a vossa mão prodigamente e saciais todo ser vivo com fartura” (Salmo 144). Esta atenção amorosa de Deus se chama Divina Providência, por meio da qual o Senhor nos dá o alimento quando necessitamos, nos dá cada coisa a seu tempo e todos ficam saciados. Deus conhece nossas necessidades melhor que nós mesmos e se ocupará delas se as deixarmos com Ele. Devemos estar sempre confiados à Divina Providência. Mas Deus também nos pede solidariedade com os outros e a partilha do muito ou do pouco que temos. Se dermos todo nosso amor, se amarmos a Deus acima de todas as coisas, perceberemos as necessidades a serem sanadas, aprenderemos a amar, seremos generosos, e como o jovenzinho do Evangelho, daremos do que temos. Tem muita gente em derredor carente de comida, de emprego e de amor. Você tem “cinco pães e dois peixes” de comida e de afeto para dar? Doe.
Seja bom o seu dia e abençoada a sua vida. Pax!!!
 

Veja também