Academias de Prudente reabrem, na fase amarela 

Prefeito Nelson Roberto Bugalho, que esteve em São Paulo na quarta-feira, disse aos educadores físicos que há grande possibilidade de a região avançar no Plano São Paulo na próxima semana

Esportes - MARCO VINICIUS ROPELLI

Data 09/07/2020
Horário 17:16
Cedida: Seis membros da Associação de Academias do Oeste Paulista representaram demais empresários do setor, na reunião Cedida: Seis membros da Associação de Academias do Oeste Paulista representaram demais empresários do setor, na reunião Imagem: Cedida: Seis membros da Associação de Academias do Oeste Paulista representaram demais empresários do setor, na reunião

Junto à notícia sobre a reunião entre os proprietários de academias – que manifestaram, quarta-feira, em frente à Prefeitura de Presidente Prudente – e o prefeito Nelson Roberto Bugalho (PSDB), surge esperança aos empresários do ramo. Bugalho, que esteve, na quarta, cumprindo agenda oficial em São Paulo, acredita que já na próxima semana a região da DRS (Departamento Regional da Saúde) 11, poderá entrar na fase amarela do Plano São Paulo. Assim ele terá autonomia para, seguindo as restrições, regulamentar a reabertura das academias. 
Seis representantes da Associação de Academias do Oeste Paulista se reuniram com o chefe do Executivo por pouco mais de uma hora, dentre eles, o presidente Nelson Morimoto. Além de Bugalho, estiveram presentes também o chefe de Gabinete Francisco Batista Leopoldo Júnior, o secretário de Esportes Claudinei Quirino, o médico da Semepp (Secretaria Municipal de Esportes de Presidente Prudente) Breno Casari  e o deputado estadual @EdEd Thomas (PSB). 
Morimoto agradece ao prefeito pela boa recepção e por comprometer-se a estar ao lado da causa dos empresários do setor. “Sabemos que abrir as academias imediatamente é impossível, mas com a possibilidade de Prudente sair da fase vermelha, as coisas podem melhorar. O prefeito deixou claro que não pode passar por cima do decreto estadual, e compreendemos. Foi bom ver a sua disponibilidade, assim como do deputado Ed Thomas, de correr atrás. O que tiver ao alcance, eles vão apoiar”, diz Morimoto, lembrando que mais que estética, a atividade física é fundamental para a saúde e imunidade, o que é imprescindível à luta contra a nova doença. 
O proprietário da Academia Budô Kan de Karatê, Marcelo Trovani, detalha o assunto numa postagem em sua rede social onde explica que na fase laranja, o decreto estadual não permite a reabertura das academias (ainda que, segundo Morimoto, Bugalho já tenha se comprometido a lutar na esfera estadual para tentar abrir essa “brecha”). “Se for para a fase amarela, o prefeito tem a permissão e vai determinar a abertura por seis horas ao dia. Se isso ocorrer, os professores de academia vão se reunir para resolver como será a questão do horário”, expõe Marcelo.
Sobre a possível flexibilização, Bugalho afirma: “Caso isso aconteça, as academias podem atuar de forma mais segura [seguindo antecipação do Governo do Estado]”.

Objetivos da manifestação dos empresários do setor

Na ocasião da manifestação, como publicado na edição de ontem de O Imparcial, aproximadamente 50 proprietários e colaboradores de academias estiveram em frente à Prefeitura, de forma pacífica, todos mascarados e vestindo preto, em sinal de descontentamento com os canais de comunicação que detinham com os poderes municipais. No mesmo dia, quem os atendeu foi o chefe de gabinete, Leopoldo, que os ouviu e marcou a reunião com o prefeito.
Também na edição de ontem, o Estado se pronunciou dizendo que atua com responsabilidade e transparência no combate do novo coronavírus, enfatizando os critérios técnicos do Plano São Paulo, que “é respaldado por análises e pareceres de especialistas para permitir, de forma consciente e gradual, a retomada às atividades econômicas dos setores, incluindo o de academias”.
A respeito de auxílios, o Estado declarou que liberou mais de R$ 650 milhões em empréstimos subsidiados e disponibilizados por meio do Banco do Povo, Desenvolve SP e Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), a partir de linhas de crédito com condições especiais, incluindo redução da taxa de juros e prazo de pagamento ampliado.


“Se for para a fase amarela, o prefeito tem a permissão e vai determinar a abertura por seis horas ao dia. Se isso ocorrer, os professores de academia vão se reunir para resolver como será a questão do horário”
Marcelo Trovani 

Foto – Cedida

Representantes das academias e do poder público se reuniram e discutiram soluções no gabinete do prefeito Bugalho
 

Veja também