Acupuntura e a oftalmologia

OPINIÃO - Henrique Sidi

Data 30/01/2020
Horário 04:45

A acupuntura, criada na China há mais de três mil anos, desde 1995 é reconhecida como especialidade médica pelo Conselho Federal de Medicina, estando disponível no SUS (Sistema Único de Saúde) e planos de saúde. A técnica traz resultados comprovados no tratamento dos problemas oftalmológicos.

Os males mais comuns são os vícios de refração, relacionados à anatomia ocular, que geram a necessidade do uso de óculos (miopia, hipermetropia, astigmatismo e presbiopia). Além deles, doenças inflamatórias, infecciosas e degenerativas, conjuntivites, alergias, olho seco, glaucoma, calázios (terçóis), catarata, degenerações de mácula e uveítes.

A técnica possui indicação para o tratamento de alguns deles, como doenças inflamatórias e alérgicas. Já nas infecciosas e degenerativas, a técnica pode ser um tratamento coadjuvante.  E pode ser bastante resolutiva para olhos secos, conjuntivites alérgicas, inflamações oculares externas, terçóis, tremores e espasmos nas pálpebras.

Os males mais comuns são os vícios de refração, relacionados à anatomia ocular, que geram a necessidade do uso de óculos

De forma combinada com medicações ocidentais, é útil em infecções e inflamações inclusive do polo posterior, como uveítes, glaucoma e inflamações da retina. Pode também reverter estrabismos adquiridos através de doenças metabólicas como a diabetes mellitus. Nos pacientes com alterações que muitas vezes a medicina ocidental oferece resultados insatisfatórios - olhos secos, alergias e inflamações maculares, sequelas de AVC -, a acupuntura poderá ter um efeito superior.

A acupuntura funciona a partir da inserção da agulha que estimula terminações nervosas presentes na pele e nos tecidos subjacentes, principalmente nos músculos, que seguem pelos nervos periféricos até o sistema nervoso central (medula e cérebro), e libera diversas substâncias químicas conhecidas como neurotransmissores que causam efeitos analgésico, antiinflamatório e relaxante muscular, além de ação moduladora nos sistemas endócrino e imunológico e sobre várias outras funções orgânicas, podendo ser, com sucesso, empregada na oftalmologia.

 

 

Veja também