As viagens geográficas nos tempos da Fafi-Unesp (Da "chapa branca ao Rent a Car")

OPINIÃO - Messias Meneguette

Data 13/10/2019
Horário 05:20

Vou falar da minha prática de "viagens-de-estudos", nos meus tempos de Fafi-Unesp. A "viagem de estudo", por mais que ela seja elaborada no aspecto de sua abordagem teórico-metodológica e cartográfica, se concretiza, também, pela espontaneidade, pelo improviso, pelos achados, pelo espírito de aventura e pelo aprendizado, geralmente através da natureza. E mais: para alguns alunos da Geografia, são a oportunidade de verem o mar pela primeira vez!

Em 1984, antes mesmo de concluir o meu doutorado (1988), articulei o projeto de pesquisa "A ocupação da periferia da Amazônia". Convidei o Olímpio B. Martins. Com contribuições significativas, participaram dessas viagens Fernando Salgado, Eliseu Spósito e Dióres Abreu, todos professores do departamento de Geografia da Unesp.

Foi o tempo da "Chapa Branca", isto é, de uma velha perua Ford/Belina, da frota de veículos da FCT-Unesp.  

Esse foi o tempo quando a Universidade Pública ainda tinha recursos para pagamento das despesas dos trabalhos de campo. As despesas com diárias ficavam por conta dos nossos salários. Os resultados dessas viagens sempre resultaram em trabalhos científicos para alunos e inúmeros artigos publicados. Bons tempos!

Infelizmente, o que se vê hoje é a Universidade Pública empobrecida nos recursos financeiros. Hoje nos encontramos na fase do "Rent a Car", em que as instituições de fomento, uma vez aprovado o projeto, geralmente concedem os recursos necessários à sua realização.

Concluímos, lembrando a letra do samba cantado por Paulinho da Viola: "eu não vivo no passado, o passado vive em mim"...

 

 

Veja também