Avós & Netos

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista livre para todas as faixas etárias (eta palavra bonita, sô!)

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 19/08/2020
Horário 05:34

As conversas entre avós e netos costumam ser divertidas na maioria das vezes. Sei não, mas parece que os netos, mesmo não sendo paraquedistas, se abrem mais com os avós do que com os pais. Eles devem temer os pais, podem levar uma bronca, coisa que os avós não costumam fazer. Apenas uma observação: carece conferir. Lembro-me do escritor Pedro Bloch, que observou: "Criança diz cada uma!".
 E neto diz cada uma que vou te contar. E conto! Um neto ligou para a avó para lhe desejar feliz aniversário. "Quantos anos a senhora tem?", perguntou o menino. "Tenho 72 anos", respondeu a avó. Na outra ponta da linha, como diziam os locutores de antanho, o neto ficou pensativo, sem dizer nada. 
A avó até ficou preocupada com o silêncio dele, mas logo depois o neto se manifestou e perguntou: "Você começou do 1?". Não sei se a venerável senhora explicou que havia começado sua trajetória neste mundo nove meses antes.
Ainda sobre idade, tem aquela de outro neto que também quis saber quantos anos tinha a avó dele. A senhora respondeu que não sabia com exatidão. Enfim, não tinha muita certeza. Aí o menino aconselhou: "Vó, olhe para a etiqueta da sua blusa. Na minha, diz 4 a 6 anos".
Outra vovó colocou os netos na cama, vestiu a camisola e se preparou para lavar o cabelo. As crianças faziam a maior farra, o que irritou a senhora. Ela enrolou uma toalha na cabeça, entrou como um furacão no quarto e colocou os netos de volta na cama.
A avó deu a maior bronca nos netos bagunceiros, parecendo o Bolsonaro quando esculhamba publicamente algum ministro ou o STF. Foi aí que ela ouviu o menorzinho, o Pimentinha da turma, perguntar com voz trêmula: "Quem era aquela?"
E outra avó contou para a neta como era sua infância no tempo em que não havia celular. "Andávamos de skate com uma prancha pequena e também tivemos um balanço feito de pneu pendurado em uma árvore". 
E prosseguiu: "Andávamos em um burro e pegávamos manga nas árvores".  A menina ficou boquiaberta com tudo aquilo que a avó lhe contou e emendou: "Eu deveria ter te conhecido muito antes".
E uma neta digitava no computador do avô e disse que estava escrevendo uma história. "O que é isso?", perguntou o velho. "Não sei", respondeu a garotinha, acrescentando: "Não sei ler!". Pois é, neto diz cada coisa que vale a pena conferir.

DROPS

Defesa deverá ter mais verbas do que a Educação em 2021. Nenhuma surpresa até porque canhão sempre foi mais valorizado do que livro no Brasil.

É por isso que o Brasil não vai pra frente. Tem gente que bota pra quebrar quando deveria botar pra consertar.

Sou a favor do quanto melhor, melhor.

Previsão do tempo. Vai chover na horta de poucos.
 

Veja também