Caio Toledo mantém o cinturão no MMA canadense

Prudentino venceu novamente o BFL (Battlefield Fight League) após derrotar o peso-pesado Lee Mein; a competição ocorreu nesta última sexta-feira, no Canadá

Esportes - WEVERSON NASCIMENTO

Data 24/03/2021
Horário 07:00
Foto:  Battlefield Fight League
Caio venceu o experiente Lee Mein e manteve o cinturão de ouro do Battlefield Fight League
Caio venceu o experiente Lee Mein e manteve o cinturão de ouro do Battlefield Fight League

Nesta última sexta-feira, o prudentino Caio Toledo Pennachhi Cardoso Machado disputou mais uma competição de MMA (Artes Marciais Mistas) e manteve o cinturão de ouro conquistado no evento canadense BFL (Battlefield Fight League). Ele venceu, ainda no primeiro round, o peso-pesado e experiente, Lee Mein. A competição é vista como uma oportunidade para o reconhecimento, além de ser uma porta de entrada ao UFC (Ultimate Fighting Championship), que é a principal disputa mundial do MMA.
A saída do Brasil não foi por conta do esporte, já que Caio, como não tinha certeza de qual caminho seguir, resolveu ir para o Canadá buscando “se entender”. E foi naquele país, durante os treinos de luta, que surgiu a oportunidade de competir pelo MMA. Em 2019, ele conquistou o tão sonhado cinturão de ouro do Battlefield Fight League, título que continua em sua posse após “encerrar” seu adversário em octógono nesta última sexta-feira.
O prudentino de 26 anos, que atualmente mora em Vancouver, explica que diante da crise pandêmica do novo coronavírus precisou de um treino adaptado e em um grupo mais fechado. O período, inclusive, foi essencial também para manter o desenvolvimento físico. E todo preparo foi crucial, isso porque ele enfrentou um veterano, em plena forma aos 53 anos, e que carrega na bagagem 25 lutas profissionais de MMA. “Como somos pesados, qualquer pesada que entra pode derrubar. Então, eu tinha que saber lidar com isso, saber que ele era um cara experiente, que sabia o que estava fazendo ali, e que ele poderia me derrubar a qualquer momento. Por isso, eu precisei que ficar atento, fazer o meu jogo e trabalhar em alguns pontos da disputa”, relembra. 
Mas, toda preparação foi certeira. Caio defendeu seu título encerrando-o no final da primeira rodada em um empolgante primeiro round. “Eu consegui fazer meu jogo e trabalhar uma boa combinação de joelhadas no meu adversário”, explica. “Ganhar essa disputa foi muito importante. Eu estou muito feliz de defender meu cinturão e garantir a vitória, ainda mais contra um cara que vinha de vários resultados bons, além de ser um nome muito conhecido por aqui [Canadá]”, diz o atleta.

 

Novos Planos

A vitória contra Lee Mein, segundo Caio, fez seu nome crescer e ganhar uma repercussão nacional em solo canadense, o que representa seu próximo passo na carreira que é competir em outras arenas, até mesmo conseguir acesso ao tão sonhado octógono do UFC (Ultimate Fighting Championship). “Eu deixei de ser um dos principais pesos-pesados da região, para ser um dos principais do país, além de contar com projeção internacional. Isso vai ao encontro das coisas que eu desejo para minha carreira, ou seja, participar de eventos e competições maiores”, explica o atleta. 
Feliz ao vencer mais uma disputa, Caio fez agradecimentos à noiva Gabrielle Stewart, aos pais Ronaldo Machado e Zelly Machado, ao irmão Igor Toledo Machado e a cunhada Maria Ozawa. O atleta também atribuiu a conquista ao treinador, Chris Franco; aos membros da sua equipe, Jayden Martin, Noah Kew, Josh Chow e Maria Demers; aos patrocinadores The Van-Burn Group, DLM, Ruscitti Bros, Ventures Inc, Action Athletic Wear e Drive Marketing Group; Forth Media assessoria; e ao nutricionista/preparador físico Rodolfo Zanin. 
O prudentino agora segue para um período de descanso, mas tão logo retornará aos treinos. Ele adianta que poderá participar de uma nova competição ainda neste semestre.

 

Fotos: Battlefield Fight League

O prudentino agora segue para um período de descanso, mas tão logo retornará aos treinos com os colegas de sua equipe

 

Treino adaptado e em grupo mais fechado, inclusive, foi essencial também para manter o desenvolvimento físico

Veja também