Como a alimentação “Low Carb” transforma a sua vida

Belmiro d’Arce

COLUNA - Belmiro d’Arce

Data 18/10/2020
Horário 06:00

COMIDAS E BEBIDAS DOCES constituem o principal alimento de muitas pessoas. Porém, a presença excessiva de carboidratos na alimentação constitui a base para as ocorrências de quase todas as doenças e mortes precoces. Assim, é importante considerar as escolhas alimentares sob a perspectiva de sua influência para a saúde e não apenas do seu sabor.

 

O EXCESSO DE CARBOIDRATO contribui para a instalação de distúrbios inflamatórios, infecciosos, alérgicos, metabólicos, psíquicos, degenerativos e autoimunes, uma vez que acidifica o corpo; altera a microbiota intestinal (destrói as boas bactérias e desenvolve as patogênicas, vírus, fungos e parasitas); afeta a digestão dos alimentos e a absorção dos nutrientes; bloqueia a produção de endorfinas.

 

OS CARBOIDRATOS, COMO FONTES FRACAS DE ENERGIA, não saciam o apetite, engordam e impedem o emagrecimento; pervertem e viciam o paladar; aumentam a insulina, sobrecarregam o pâncreas, produzem resistência à insulina, síndrome metabólica, diabetes, hipertensão arterial; descalcificação dos ossos; diminuição da imunidade; acumulam gordura no fígado, esteatose, que pode levar a insuficiência e necessidade de transplante do órgão.

 

OS ALIMENTOS E PRODUTOS RICOS EM CARBOIDRATOS são de fonte natural ou industrializada: 1- Açúcar natural (melado de cana, rapadura, mascavo, mel); 2- Açúcar industrializado (demerara – cristal – refinado – especial); 3- Alimentos naturais: frutas; legumes (cenoura, beterraba); raízes (batata doce, batatinha, mandioca, mandioquinha, cará, inhame); feijões (feijão, lentilha, grão de bico, ervilha, soja); cereais (arroz, trigo, milho, centeio, cevada); 4- Produtos alimentícios industrializados, com maior ou menor quantidade de açúcar: doces; pudins; geleias, gelatinas, bolos; biscoitos; bolachas; pães; massas. 5- Bebidas naturais: sucos de frutas; 6- Bebidas industrializadas: refrigerantes, “milk shake” e outras.

 

O PROPÓSITO DA ALIMENTAÇÃO “LOW CARB” é diminuir a oferta de carboidratos, especialmente de produtos industrializados. Pessoa sadia pode ingerir pequena quantidade de alimentos ricos em carboidratos, jamais sendo de uso livre, nem fonte principal de energia. Pessoa doente, dependendo da gravidade e do sofrimento, a quantidade pode ser muito baixa ou nenhuma (dieta cetônica), na fase inicial do tratamento.


A RESTRIÇÃO LOW CARB será aquela necessária para uma resolução mais rápida dos desconfortos e doenças presentes. Assim, a retirada das fontes de açúcar pode ser maior e mais rápida, sempre adaptada a necessidade de cada paciente.

 

AO DIMINUIR A INGESTÂO DE AÇÚCAR podem ocorrer reações de fraqueza, tontura, dor de cabeça, de acordo com a velocidade da retirada, a condição de cada pessoa e seu grau de dependência do açúcar, mas, não representa perigo nem que o tratamento esteja fazendo mal. A reação logo passa: basta repousar e beber bastante água; em 2 a 3 dias o organismo se acostuma com o novo programa.

 

OS RESULTADOS RAPIDAMENTE ALCANÇADOS demonstram o sucesso da alimentação “low carb”: resolução de sintomas e doenças que se arrastavam por meses e anos; emagrecimento natural; normalização da pressão arterial e da glicemia; bem estar, disposição e melhora do humor. Enfim, uma verdadeira transformação em sua vida.

 

USE ESSE RECURSO PODEROSO, fácil, rápido, de baixo custo financeiro, capaz de evitar e curar doenças impossíveis de serem curadas pelo uso de medicamentos. Corrija o excesso de alimentos e produtos ricos em açúcar que esteja presente em sua rotina alimentar, como está na maioria das pessoas, e você criará as condições para ser saudável, hoje e sempre. 

 

MEU OBJETIVO É QUE VOCÊ CONHEÇA E USE por conta própria ou sob orientação médica, nutricional, se existem problemas de saúde para resolver. Converse, compartilhe estes princípios de saúde com seus familiares e amigos: eles ficarão agradecidos e você feliz por ajudá-los.

Um grande abraço. Deus lhe abençoe.

Veja também