Compulsão

Penso que compulsão relaciona-se muito com a ausência do pensamento. Ausência de um aparelho para pensar os pensamentos, em direção ao sentido e significado. É um impulso em direção à ação, na ausência de reflexão. Se houver o remorso após a ação, poderá significar um sentimento de reparação. Assim sendo, há um indício de integração e saúde mental. Na total ausência da reparação e emoção, poderá ser considerado um transtorno.
 A simbolização ou significação das faltas é sinal de saúde mental. O ser humano é vulnerável, carente e insatisfeito. Angústia e desamparo são sentimentos que fazem parte da nossa vida. Sentimos ciúmes, inveja, raiva, amor e ódio no nosso cotidiano. É preciso reconhecê-los e trabalhá-los em direção ao autoconhecimento. 
Há compulsão de diferentes formas. Gilberto tinha compulsão pelo sexo. Uma espécie não pensante. Desconhecia e não reconhecia o que sentia. Não discernia o sentimento que sempre aparecia. Era algo que o deixava irrequieto e hiperativo. Acreditava que era algo da ordem corporal. Tudo que sentia, era como sexo de animais irracionais, e precisava descarregar todo dia. Escolhia qualquer uma. Mexia com todas que via. Conforme o cheiro, enlouquecia e perdia a referência. Cego e irracional desejava e queria só a realização. Ele não administrava bem o que era tudo aquilo. Seu sentimento era avassalador. Desgovernado, não sabia renunciar suas pulsões. Ia à busca de um canal ou continente onde pudesse ser acolhido de tão desamparado. 
Tanto Freud como Melanie Klein, dois psicanalistas, nos orienta em suas teorias sobre sexualidade que: o coito ou a cena primária dos pais, sempre incomoda muito, os filhos. Penso que Gilberto está psiquicamente fixado ainda, no dia em que houve a sua fecundação. De fato, para concebê-lo, sua mãe necessitou de seu pai. Será que Gilberto quer entrar, de forma alucinatória, no dia do coito de seus pais e destruir tudo? Assim, passou a devorar todas, indiscriminadamente. Gilberto resiste aceitar que sua mãe realiza relações amorosas com o pai. Com ciúmes quer impedir. Não consegue governar seus impulsos instintuais. Ele esquece que tem uma cabeça pensante lá encima, acoplada ao seu pescoço. Sua idade mental, incompatível com a cronológica, é da ordem do infantil. Precisa buscar ajuda para administrar a fome oceânica pelo sexo. Assim, perde a chance de olhar a Cida tão formosa e interessada, tão amante e carinhosa que pode fazer dele, um homem com Complexo de Édipo resolvido ou elaborado. 
Se Gilberto reconhecer o ódio, ciúme e inveja instalados em seu psiquismo ou mundo interno saberá a origem de sua compulsão e o seu “cio” desembestado. E assim, poderá na sua essência, administrar sua boa relação com a faceira menina. Reconheço que domar nossos instintos mais primitivos não é fácil. Mas é um bem necessário. É a travessia para o desenvolvimento e felicidade. Ou, um pedaço dela.
 

Veja também