Publicidade

Crianças que escreveram ao Papai Noel são presenteadas

Terceira edição do Natal Solidário na Clínica de Fisioterapia da Unoeste arrecadou brinquedos pedidos em cartinhas escritas pelos pacientes mirins; até quem não escreveu ganhou presente

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 05/12/2023
Horário 17:19
Foto: Emerson Sanchez
Presentes foram entregues as crianças que escreveram cartinhas de Natal e colocaram na árvore da Clínica de Fisioterapia 
Presentes foram entregues as crianças que escreveram cartinhas de Natal e colocaram na árvore da Clínica de Fisioterapia 

Acadêmicos de Fisioterapia, professores, colaboradores da Unoeste, além da Atlética proporcionaram um dia todo especial às crianças que são atendidas nos setores de pediatria e respiratória da Clínica de Fisioterapia da Unoeste. Há 20 dias do Natal, eles entregaram nesta terça-feira (5) os presentes que foram pedidos pelos pacientes mirins em cartinhas endereçadas ao Papai Noel entre novembro e dezembro. Todas essas cartinhas foram penduradas na árvore de Natal que fica na recepção da clínica. Elas foram adotadas pelos envolvidos na ação extensiva para que nenhuma criança ficasse sem presente. E o espírito de solidariedade cativou tanto que nessa terceira edição do Natal Solidário foram cerca de 30 cartinhas recebidas e mais de 100 brinquedos arrecadados.
Diferente das edições anteriores, em que algumas crianças chegavam a pedir cestas básicas e até emprego para o pai, desta vez os pedidos até que foram simples: carrinhos, bonecas e até roupinha. “Esse ano reinou a inocência da criança, o brinquedo, a boneca, o carrinho, a bola, o tal dos óculos da Juliete que tá famoso aí. Então as crianças pediram algumas coisas mais específicas, e Natal pra elas é essa magia, não importa que tipo de criança ela seja. Quanto aos presentes, arrecadamos mais brinquedos do que o número de pacientes porque sempre tem o irmãozinho do paciente que vem junto, e isso já virou tradição. Também sempre tem o netinho da vovó que está tratando, então a gente presenteia esse público também”, explicou a professora Deborah Cristina Gonçalves Luiz Fernani, coordenadora da Clínica de Fisioterapia e supervisora do estágio de fisioterapia em pediatria.

Cada vez mais pessoas
A professora também lembrou que a dinâmica de escrever as cartinhas ao Papai Noel, a cada ano que passa, tem mobilizado mais pessoas. “As cartinhas foram surgindo na árvore da nossa recepção, mesmo tendo muitas crianças e pacientes que têm aquela sensação de vergonha de solicitar alguma coisa, de fazer uma cartinha. Mas nesse resgate do espírito natalino, as pessoas estão perdendo a vergonha, escrevendo, falando o que pensam, o que precisam. E isso também acaba fazendo parte do tratamento”, revelou ela.
Deborah destacou que a ação encerra 2023 e as atividades na clínica da maneira mais positiva possível. “O balanço que a gente faz é que cada vez mais nossa clínica supre o seu papel na sociedade prudentina e região. Atendemos a uma centena de pessoas que nos procuram, e a elas tentamos oferecer o melhor atendimento possível porque essa é uma preocupação nossa. A docência associada ao estágio faz com que isso ocorra. Foi um ano de muita produção e fechamos com chave de ouro. Estamos felizes porque os nossos alunos do estágio também tiveram uma boa performance na prova do Enade no domingo retrasado. Pelo gabarito prévio, nossas pontuações atingiram uma porcentagem bem importante que reflete tudo o que os professores, nossos funcionários, a coordenação do curso, têm lutado”.

Presentes que contagiam
Não há criança que não goste de ganhar brinquedo. E com o Heitor Garcia de Oliveira, de apenas três aninhos, não foi diferente. Ele é autista e faz tratamento na clínica. Além dele, os outros três irmãos filhos que estiveram acompanhando ele e a mãe na clínica, sendo eles o irmão gêmeo do Heitor, Pedro Garcia de Oliveira, além do João Gabriel Garcia de Oliveira, de 10 anos, e Carlos Henrique Garcia de Oliveira, de 12 anos, também ganharam presentes do bom velhinho e da mamãe noel.
“É muito lindo, que Deus abençoe a todos que trabalham aqui na clínica da Unoeste. Eu agradeço muito porque meus filhos ficaram todos felizes. Eles nem esperavam, então ganharam esses presentes como se fosse uma surpresa mesmo. E comprar presentes para os quatro não é fácil. Ficamos bem felizes hoje”, disse em tom de gratidão a dona de casa Judite Cândido Garcia.
A pequena Melissa Gomes Ferreira, de 7 anos, também fez seu apelo ao bom velhinho e ganhou uma boneca e um conjuntinho de roupa nova. Desde 2022 ela é paciente no local. Segundo a mãe Natalia Cristina Teixeira Ferreira, a filha faz reabilitação motora no setor de pediatria porque tem paralisia no lado esquerdo do corpo. Ela agradeceu a iniciativa e teceu elogios ao trabalho desenvolvido com tanto carinho, comprometimento e dedicação pelos profissionais e acadêmicos de Fisioterapia junto à sua filha. “O atendimento é muito bom, ela melhorou bastante já, está desenvolvendo rápido. Antes ela só rastejava no chão, não andava. Agora ela está 100% melhor, tá andando e correndo para tudo quanto é lado. Estou gostando muito e só tenho a agradecer”.
Já a babá Graciele Mota Barbosa acompanhava o pequeno Breno Natan Alvim da Silva, de 5 aninhos, na sessão de hoje. O garotinho, que faz fortalecimento muscular na clínica há um mês por conta de um problema nas pernas, ganhou um helicóptero de brinquedo do papai noel. “Quando ele recebeu o presente, abriu e viu que era um helicóptero ficou muito feliz. Iniciativa lindo do pessoal aqui”, elogiou.

Gratidão na reta final
É importante destacar que além de crianças, a Clínica de Fisioterapia da Unoeste atende adultos também. No caso das crianças, normalmente são àquelas que apresentam algum problema neurológico ou diagnosticada com algum tipo de síndrome que limita movimentos, impactando nas atividades do dia a dia e escolares.
Hoje, durante a entrega dos presentes, os acadêmicos Nathan Gil de Oliveira Trevelin (5º ano de Fisioterapia noturno) e Andressa Bargas Vioto (4º ano de Fisioterapia tempo integral) que estagiam no local, se transformaram em papai noel e mamãe noel, respectivamente. Papéis que os enchem de gratidão, principalmente nessa reta final já que ambos estão se formando. “Esse é o momento em que a gente já começa a se preocupar com emprego, de querer saber como vai ser quando a gente sair da faculdade. Mas também é o momento de descontração, de fazer as crianças sorrirem, o que é muito importante. E todo mundo ajudou como conseguiu, comprando um presente ou doando dinheiro para comprar. E é uma coisa tão simples que às vezes muda tanto para a criança, deixa ela feliz. É muito gratificante”, destacou Nathan.
“Quando me chamaram para participar eu logo aceitei porque gosto de estar aqui no meio. Estar participando é muito importante pra mim, dar os presentes para as crianças, ver a alegria de cada uma ao receber. Eu vou terminar esse meu último ano muito feliz por ter feito parte disso”, emendou Andressa.
A Atlética da Fisioterapia também participou da festa realizada nos atendimentos da manhã e tarde. Eles conseguiram um carrinho de pipoca e algodão doce. A distribuição aconteceu durante todo o dia em frente ao bloco E. Além das crianças, quem passava pelo local ganhava pipoca e algodão doce.

Emerson Sanchez

Judite Garcia e os quatro filhos durante a entrega dos presentes na Clínica de Fisioterapia 


 

Publicidade

Veja também