Cuidados necessários durante a infância com o manejo das tecnologias

Profissional da área da psicologia clínica, Yara Mota, fala sobre o equilíbrio entre o uso dos aparatos digitais e o desenvolvimento cognitivo saudável das crianças

REGIÃO - CAIO GERVAZONI

Data 12/10/2021
Horário 05:22
Foto: Freepik
Uso da tecnologia é parte da rotina e o manejo das plataformas digitais devem ser saudáveis para que o conteúdo consumido possa contribuir para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças
Uso da tecnologia é parte da rotina e o manejo das plataformas digitais devem ser saudáveis para que o conteúdo consumido possa contribuir para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças

Nos dias de hoje o contato com as plataformas digitais é comum, porém, o uso extensivo dos dispositivos pode prejudicar o desenvolvimento emocional, cognitivo e social, principalmente, das crianças. É o que explica a psicóloga clínica, Yara Mota. “A recomendação é avaliar se a criança deixa de fazer outras atividades, visivelmente saudáveis, que seguramente vão ajudar no seu desenvolvimento, como brincar com outras crianças, brincar sozinha”, registra. Hoje, Dia das Crianças, O Imparcial trata este assunto tão importante e presente na vida de todas as famílias.

O papel dos pais é fundamental para intermediar o uso dos aparatos digitais pela criança. Conforme a psicóloga, “é muito importante que os pais determinem um tempo para que a criança fique na telinha e um tempo para que ela possa fazer outras atividades”.

De acordo com Yara, quando a criança está conectada há uma super ativação do cérebro e, nem sempre, esta é feita com os estímulos adequados para o desenvolvimento cognitivo dela. “Avaliar e observar o que a criança está acompanhando no Instagram, no Youtube e outras plataformas é necessário. Este controle e observação por parte dos pais é importante. As crianças não têm esta maturidade de distinguir o que está adequado para a idade dele”, pontua.

 

Consequências

Além da super ativação do cérebro, a psicóloga alerta que a exposição prolongada aos equipamentos pode afetar as elaborações, pensamentos e raciocínios em relação às dificuldades da vida. “Isso acaba impedindo o desenvolvimento cognitivo e social da criança”, relata. “Se a criança entra em contato com um assunto. Vamos pensar na sexualidade. A gente sabe que há muitos vídeos que a criança não poderia ter acesso. Se ela começa a ter acesso a este tipo de conteúdo na internet vai começar a exigir da criança um desenvolvimento que ela ainda não está madura para ter. Começa a mexer com estruturas que ainda não estão prontas”. Neste sentido, a psicóloga pontua que a psique e o corpo da criança não comportam tais estímulos e pode ficar desajustados.

Por fim, Yara frisa que o uso da tecnologia é parte da rotina e o manejo das plataformas digitais devem ser saudáveis para que o conteúdo consumido possa contribuir para o desenvolvimento cognitivo e emocional das crianças, e não atrapalhar. “Os pais devem ficar muito atentos a isso. A criança não tem maturidade emocional para tudo que está exposto por ali. O uso prolongado exige um desenvolvimento que ela não está pronta para ter”.

 

 

 

 

 

Veja também