Da sala de aula para o Corpo de Bombeiros

Instrutora de Proerd e aluno se reencontram após 17 anos em uma única missão: a de salvar vidas

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 03/07/2020
Horário 05:54
Weverson Nascimento: Afonso e Ana Lucia trabalham juntos no 14º Grupamento Foto: Weverson Nascimento: Afonso e Ana Lucia trabalham juntos no 14º Grupamento

O ano era 2003. Nas salas de aula da Escola Municipal João Franco de Godoy, o “Navio”, em Presidente Prudente, a instrutora de Proerd (Programa Educacional de Resistência às Drogas e à Violência), Ana Lucia do Nascimento Santos, na época policial militar, tinha como missão “ensinar aos estudantes habilidades para tomada de boas decisões” – como manda o programa. O que ela não esperava, é que 17 anos depois um reencontro traria boas lembranças e a sensação de dever cumprido.

A poucos meses de completar 30 anos de Quartel militar, sendo 12 anos no Corpo de Bombeiros, a cabo-PM Ana Lucia lembra dos bons momentos vividos na carreira. Inspirada pela atuação do pai e do irmão na segurança pública, viu a oportunidade de mostrar o outro lado do policiamento que não fosse apenas combater de frente a criminalidade.

“Quando me formei em Educação Física pensei em sair da polícia para me tornar professora”, afirma. Mas, a indicação de uma amiga fez com que ela juntasse duas paixões: a farda e a sala de aula.

Foi como instrutora de Proerd que Ana Lucia viu o trabalho decolar. Diante da demanda, buscou capacitação, inclusive, representou a região em eventos dentro e fora do Estado. A oportunidade também possibilitou a ela a graduação em Pedagogia, o que ajudou a lidar com as crianças.

“Logo no meu primeiro ano de Proerd peguei quatro escolas, em Prudente e na região”, lembra. “Trabalhava não só a parte técnica do programa, mas fazia brincadeiras, contava histórias. Gostava de teatralizar as aulas”. No projeto ela ficou durante oito anos – trajetória de reconhecimento e satisfação.

Uma surpresa inesperada

No 14º Grupamento de Bombeiros desde 2008, Ana Lucia chegou com o objetivo de implantar um projeto similar ao Proerd na corporação. Foi então que surgiu o “Bombeiro na Escola”, em 2015. Desde então, a bombeira colhe os frutos do trabalho que, na corporação, chegará ao fim no próximo ano.

Depois de 17 anos, e perto da aposentadoria, uma surpresa inesperada trouxe alegria a Ana Lucia. “Estava na minha sala, quando um bombeiro parou na porta e disse: ‘a senhora deu aula pra mim!’”.

Era o soldado-PM Renato Afonso Pereira, recém-chegado no grupamento em março. Há cinco anos na corporação, voltou para os braços da família de militares em Prudente, e se quer imaginava que encontraria a antiga instrutora de Proerd no mesmo ambiente de trabalho. “Levei uma foto que minha mãe fez na formatura e começamos a conversar bastante, sobre tudo”, lembra o soldado.

Sabe a didática citada por Ana Lucia? Pois bem, ela continua na memória de Afonso. “Gostava muito das músicas. Era uma didática fácil que fica na cabeça da gente, e vai ficar para a vida toda”, afirma.

Para Ana Lucia, que se descobriu professora na segurança pública, fica o sentimento de gratidão. “A educação é o caminho”.

(A reportagem tomou todos os cuidados de prevenção, de acordo com os órgãos de saúde, para a produção deste material)

Foto: Polícia Militar/Arquivo

Afonso guarda a fotografia do dia de formatura do Proerd

 

 

Veja também