Dança In Prudente

Ballet, sapateado e dança contemporânea! Noite promete ser de gala, pois ainda contará com as melhores escolas de dança da cidade; atração ocorre amanhã, no teatro do Centro Cultural Matarazzo, em Presidente Prudente, a partir das 19h30

VARIEDADES - OSLAINE SILVA

Data 20/09/2016
Horário 09:20
 

Nesta quarta-feira, às 19h30, o Teatro Paulo Roberto Lisboa será palco de uma apresentação mais que especial do Dança In Prudente, realizando a Mostra de Dança Solidária. Segundo Tamara Barbosa, que coordena atualmente o projeto ao lado de Fernanda Benvenuto, será uma verdadeira noite de gala, pois, ainda contará com presença das melhores escolas de dança da cidade: Ballare, Beth Libório, Cia. do Corpo, Corpo que Dança e Sonho e Ritmo encantando com coreografias de balé, sapateado e dança contemporânea. Os convites custam R$ 15 e podem ser adquiridos com antecedência na Sala 3, do Centro Cultural Matarazzo e no dia, ainda na bilheteria do teatro.

Jornal O Imparcial Projeto Dança In Prudente dá acessibilidade para 160 crianças e adolescentes, entre 6 a 19 anos, que financeiramente não teriam essa oportunidade, e ali realizam seus sonhos

Tamara explica que a ação é uma das várias que o grupo e pais das alunas têm realizado para suprir as dificuldades financeiras que quase paralisou, permanentemente, as atividades do projeto que atende 160 crianças e adolescentes entre 6 e 19 anos, que ali realizam seus sonhos! Isso só não ocorreu, porque a Secult (Secretaria Municipal de Cultura) ofereceu uma verba para a continuidade do projeto até o final do ano, ou seja, três meses, onde empenhados e verdadeiros guerreiros, os professores abriram mão de 30% do que deveriam receber, pelo amor e dedicação às crianças.

"A dívida com eles é alta e o apoio das escolas de dança da cidade nos emociona porque não estão enxergando o projeto como concorrente, mas como algo que contribui para a formação de jovens, que transforma vidas e realiza sonhos! Conseguimos dar acessibilidade para crianças que financeiramente não teriam essa oportunidade!", exclama Tamara.

Ela explica que toda a sociedade prudentina pode contribuir de alguma maneira para que este projeto, tão bonito, responsável pelo sorriso e realização de tantas crianças, não escorra por entre os dedos. Em seu ponto de vista e de muitas outras pessoas, faltam planos de ações de política cultural de formação, ou seja, cursos que preparem. O que existe é uma política de difusão.

Conforme Tamara, se por um lado as empresas podem contribuir destinando parte do ICMS (Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação), a aprovação de uma lei municipal em que as pessoas possam reverter parte do que pagam em IPTU (Imposto Predial, Territorial e Urbano), seria importantíssima e de grande valia para a arte e a cultura.

 

Um sonho

De acordo com a idealizadora do projeto, Helga Levanon Urel, 52 anos, nestes três meses, além da verba da Secult, uma série de promoções como almoços, rifas, entre outras para levantar fundos e saldar essa dívida com os profissionais de dança, uma comissão de pais passa a gerenciar financeiramente o projeto, define espetáculos e segue em busca de apoio de grande ou pequenas empresas. "Essa comissão é uma grande vitória, enquanto aguardamos a escola municipal de dança . Tínhamos um aporte financeiro importante de uma grande empresa, qual não temos mais, hoje. Mas, acreditamos e não apenas as grandes, mas as pequenas também podem nos ajudar", frisa Helga.

A proponente do projeto ressalta que as crianças que passam menos tempo com seus professores, nas aulas, ficam no mínimo inço horas. Outras, que fazem mais de um curso, acabam ficando por alio, por dez horas, suprindo as carências dos pais.

"Atendemos todos juntos, independente de classe social. E felizes compartilham os mesmo figurinos. Não há distinção sabe? O que é produtivo, um aprendizado de vida.

 

Veja também