De pai para filho, carreira militar está no sangue 

PRUDENTE - ROBERTO KAWASAKI

Data 08/08/2021
Horário 08:15
Foto: Roberto Kawasaki
Prestes a se aposentar, subtenente Marcel deixa legado ao sargento Mesquita, que se espelhou em sua trajetória
Prestes a se aposentar, subtenente Marcel deixa legado ao sargento Mesquita, que se espelhou em sua trajetória

A convivência entre pai e filho não se limita somente dentro de casa, mas também na profissão. Entre aqueles que se espelharam nos patriarcas e decidiram seguir a carreira dos super-heróis está o 1º-sargento PM João Marcel Mesquita Dantas, 33 anos, que atua no 14º Grupamento de Bombeiros, em Presidente Prudente. “Uma das características do meu pai que levo comigo é a honestidade, e também fazer o bem, porque ele sempre pregou isso pra mim, nós colhemos o que plantamos”, afirma Mesquita. 

O sargento é filho do subtenente PM Marcel Pires Dantas, 54 anos,  do TOR (Tático Ostensivo Rodoviário) da 2° Companhia de Polícia Rodoviária de Presidente Prudente, do 2º Batalhão. Desde criança, ele tinha o costume de frequentar o quartel juntamente com o pai, que na época atuava na Polícia Ambiental. “Tinha em mente aquela figura do militar, do herói, e isso foi um exemplo que me motivou a buscar a carreira. Era muito gostoso estar lá dentro, onde brincava com outras crianças enquanto meu pai estava em reuniões. São lembranças muito boas da infância”, relembra Mesquita. 

Legado: de pai para filho

Para o subtenente, ver o filho seguindo a mesma profissão que ele é motivo de felicidade. Mesquita e Marcel tiveram a oportunidade de atuar juntos em um acidente entre carro e moto na Rodovia Júlio Budiski (SP-501). O filho estava de serviço em uma unidade de resgate, e realizava atendimento à vítima, já o pai em uma viatura do policiamento rodoviário fazia a sinalização da via, sem iluminação, o que garantiu a segurança para evitar um outro acidente.

“Nós colhemos o que plantamos, deixo ao meu filho o legado de sempre seguir o caminho do bem”, salienta o subtenente, que aguarda a aposentadoria para esta semana.

“Só tenho orgulho do meu pai, pela trajetória de elogios, merecimentos, de destaque. Almejo ser pelo menos metade do pai e profissional que ele é e foi, pois se eu tiver metade da competência dele, sei que eu já estarei no caminho certo. Meu pai é exemplo em todas as circunstâncias, cumpriu toda sua missão dentro da Polícia Militar com maestria. Que agora, possa usufruir desse momento de descanso e de algum outro projeto futuro”, salienta Mesquita. 

Foto: Roberto Kawasaki

pai e filho juntos na carreira militar em presidente prudente
Pai e filho trabalharam juntos em acidente na rodovia  

SAIBA MAIS

Paternidade: filhos também nascem do coração

Pais: nossos eternos heróis

Veja também