Empresa inicia construção de rede para distribuição de biometano na região

Projeto colocará Narandiba, Pirapozinho e Prudente em destaque nacional em relação ao abastecimento com gás obtido de resíduos da cana-de-açúcar

REGIÃO - DA REDAÇÃO

Data 25/08/2021
Horário 14:12
Foto: Divulgação/Usina Cocal
investimento total da obra é estimado em R$ 180 milhões
investimento total da obra é estimado em R$ 180 milhões

A GasBrasiliano iniciou, neste mês de agosto, as obras de construção da rede do projeto “Cidades Sustentáveis”. Lançado em abril de 2019 na 25ª Agrishow (Feira Internacional de Tecnologia Agrícola), realizada em Ribeirão Preto (SP), o projeto colocará os municípios de Narandiba, Pirapozinho e Presidente Prudente em destaque nacional no que diz respeito ao abastecimento com o biometano gerado a partir do processamento de resíduos da cana-de-açúcar.

A GasBrasiliano e a Usina Cocal são parceiras na iniciativa, sendo a primeira responsável pela construção de gasodutos para distribuição do biometano na região, e a segunda pela produção do biometano, que pode chegar até 25 mil m³/dia. O projeto conta ainda com a parceria da Sima (Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo).

Serão construídos aproximadamente 51 quilômetros de tubulação em aço (DN4") para interligação entre a fonte de suprimento (Usina Cocal, localizada em Narandiba) ao mercado consumidor (Narandiba, Pirapozinho e Presidente Prudente) e mais 14,5 quilômetros de tubulação em PEAD (polietileno de alta densidade) para a conexão do mercado industrial, comercial, residencial e veicular, localizados na área urbana destes municípios.

“Por meio da rede de distribuição, o biometano [produzido a partir de vinhaça, palha e torta de filtro - resíduos do processamento da cana-de-açúcar] partirá de Narandiba, cidade onde a Cocal está localizada, e poderá atender residências, comércios, indústrias e veículos leves e pesados [GNV, gás natural veicular] de Presidente Prudente, além de Pirapozinho, também contemplada no projeto, promovendo diversidade energética, competitividade à indústria e fomento à expansão da rede em regiões mais distantes”, explica Alex Gasparetto, diretor presidente da GasBrasiliano.

“A Cocal no seu propósito de promover o desenvolvimento na região onde atua, agora com mais esse empreendimento, uma planta para a produção de biogás e biometano, a partir dos seus resíduos industriais, oferece um produto 100% sustentável, gerando energia limpa em forma de eletricidade e combustível limpo em forma de biometano”, afirma Paulo Zanetti, diretor superintendente do Grupo Cocal.

O secretário estadual de Infraestrutura e Meio Ambiente, Marcos Penido, destaca que o projeto vai além da promoção da diversificação energética. “Ele fomenta o desenvolvimento regional, a expansão da rede, a descarbonização da matriz e a geração de renda no campo, contemplando todas as vertentes do desenvolvimento sustentável”, disse, acrescentando que, “além de ser pioneiro, estimulará iniciativas similares em outras regiões”.

Investimentos previstos

O investimento total estimado é DE R$ 180 milhões, sendo R$ 30 milhões da concessionária GasBrasiliano para construção da rede de distribuição e R$ 150 milhões da Cocal na construção da planta para a produção de biometano, que já está concluída. A previsão do término das obras da rede de distribuição e início de fornecimento do gás canalizado para os clientes é julho de 2022.

Cidades Sustentáveis

O projeto “Cidades Sustentáveis” faz parte da estratégia da GasBrasiliano de alavancar a inserção do biometano na matriz energética do Estado de São Paulo, valorizando uma vocação da sua área de concessão, que tem uma concentração alta de usinas do setor sucroenergético, e exercendo o seu papel de desenvolver a infraestrutura local de distribuição de gás.

O projeto, cuja ótica operacional e econômica poderá ser replicada para diversos outros municípios e regiões administrativas do Noroeste Paulista, agregado ao grande potencial de produção de biometano do setor sucroenergético, colabora com o desenvolvimento regional e coloca a região na vitrine mundial desta fonte energética sustentável.

“Estamos muito felizes com a concretização deste projeto que viabilizará a chegada do gás a novos municípios que se encontram distantes do gasoduto de transporte. A região oeste é a que concentra a maior quantidade de usinas sucroalcooleiras de São Paulo e, por meio de uma nova fonte de suprimento renovável, este modelo poderá inclusive ser replicado a outras regiões, contribuindo com o aumento da participação do gás na matriz energética”, afirma Gasparetto.

Pontal 2030

A região ainda faz parte do Pontal 2030, programa estadual gerido pela SDR (Secretaria de Desenvolvimento Regional) para alavancar o IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) da região do extremo oeste do Estado.

Foto: Betuel Macfaden - Obras rede de distribuição da GasBrasiliano

Foto: Betuel Macfaden - Tubulação em aço (DN4") para interligação entre a fonte de suprimento (Usina Cocal, localizada em Narandiba) ao mercado consumidor

Veja também