Empresa lamenta tragédia que matou 7 pessoas na Assis Chateaubriand

Conjunto de pneu na sobre a faixa de trânsito pode ter causado colisão frontal entre carreta e ônibus

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 23/12/2020
Horário 11:00
Foto: Reprodução/Portal Kako News
No ônibus havia 39 passageiros, sendo que cinco deles, incluindo o motorista, morreram
No ônibus havia 39 passageiros, sendo que cinco deles, incluindo o motorista, morreram

A empresa Helios Coletivos e Cargas, do Rio Grande do Sul, responsável pelo ônibus que bateu contra uma carreta no começo da semana, manifestou condolências aos familiares de mortos e feridos. A tragédia ocorreu na segunda-feira, na Rodovia Assis Chateaubriand (SP-425), em Parapuã.

A reportagem conversou por telefone com o advogado Moisés Santos, que lamentou o acidente. “Para nós foi um fator muito estranho, porque é a primeira vez, em quase 80 anos de empresa, que aconteceu uma tragédia dessa magnitude”, afirma.

De acordo com o representante, está sendo prestada toda assistência aos envolvidos.

“Logo após o acidente, designamos uma equipe aos hospitais de Osvaldo Cruz, Tupã e Marília. Conforme recebiam alta médica, os passageiros foram levados a um hotel e realocados em ônibus que os levaram para suas residências”, explica Moisés.

“A gente lamenta muito, ainda mais próximo ao final do ano que uma tragédia dessa venha causas tamanho desconforto e proporcionar um Natal não tão feliz assim”. 

Pneu na pista

Segundo o advogado, chegou ao conhecimento da empresa de que o acidente pode ter sido causado no momento em que um dos motoristas tentou desviar de um pneu que estava solto na pista. A informação foi confirmada pela Polícia Militar Rodoviária.

Segundo a corporação, o ônibus transitava na SP-425 no sentido Rinópolis a Martinópolis. Em determinado momento, chocou-se contra um conjunto pneu de caminhão que estava sobre a faixa de trânsito. Na sequência, o condutor perdeu o controle de direção e invadiu a pista contrária, colidindo frontalmente contra a Scania/G380, que tracionava dois semirreboques, com placas de Osvaldo Cruz.

Apesar de a hipótese, a investigação segue aos comandos da Polícia Civil e Polícia Técnico-Científica, que colheram vestígios que ajudarão a compor o inquérito instaurado pela delegacia de Tupã. 

Do ônibus que transportava 39 Passageiros e mais um motorista auxiliar, resultou em cinco vítimas fatais, sendo quatro passageiros e o motorista; oito vítimas graves, sendo sete passageiros e o motorista auxiliar; 25 vítimas leves e três ilesas. Já da Scania faleceram o motorista e o passageiro. 

Corpos foram liberados pelo IML

O IML (Instituto Médico Legal) de Tupã, liberou na noite de ontem os corpos das cinco pessoas que estavam no ônibus que bateu de frente contra uma carreta. A retirada dos  ocorreu após reconhecimento por parte de familiares, que vieram de diferentes cidades.

Entre os mortos está o motorista, Washington Pereira Gonçalves, 43 anos, morador de Anápolis (MG); os passageiros Celina Carneiro Alves, 69 anos, de Lucas do Rio Verde (MT); Cláudio de Lima Olivo, 65 anos, de Palmital (SP); Maria José da Silva, 60 anos, de Rio Verde (MT); e Tiago Sérgio Von Dentz, 29 anos, de Guarujá do Sul (SC).

Conforme noticiado por este diário, os irmãos Donizete Alexandre dos Santos Filho, 30 anos, e Bartoganelo Alexandre dos Santos, 33 anos, que estavam no caminhão, eram moradores de Lucélia e foram sepultados ainda ontem.


Reprodução/Funerária Lopes - Bartoganelo e Donizete eram irmãos e morreram

Entenda o acidente

Segundo informações do Cobom (Centro de Operações do Corpo de Bombeiros), o choque, seguido por colisão, foi por volta das 21h33. Em um primeiro momento, foram confirmadas quatro mortes, sendo outras três divulgadas pela corporação durante a madrugada.

De acordo com a equipe que atendeu a ocorrência, o ônibus de fretamento da empresa Helios Coletivos e Cargas, do Rio Grande do Sul, havia saído de São Félix do Xingu (PA) com destino a Carazinho (RS). No coletivo havia dois motoristas e 39 passageiros, dentre os quais cinco crianças. De acordo com os bombeiros, o caminhão envolvido na batida foi um bitrem, com placas de Osvaldo Cruz. Nele havia duas pessoas, que não resistirem ao impacto e morreram.

As demais vítimas, sendo até então 14 com ferimentos graves, foram socorridas ao pronto-socorro das santas casas de Osvaldo Cruz, Parapuã e Tupã. Já as crianças ficaram aos cuidados da equipe do Conselho Tutelar de Parapuã.

Desde os primeiros minutos após o acidente, o trânsito no local ficou impedido. Equipes da Polícia Militar Rodoviária, Corpo de Bombeiros e o resgate da Concessionária Eixo-SP estiveram empenhadas no salvamento e proteção daqueles que passavam ao redor.

Ainda não se sabe a dinâmica do acidente, mas aparentemente, trata-se de uma colisão frontal, o que será apurado pela Polícia Técnico-Científica.

Suposta irregularidade no transporte

Com base no emplacamento do coletivo, que foi divulgado para a imprensa, a ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres) informou à reportagem que a empresa Hélios Coletivos e Cargas está habilitada para prestação do serviço regular interestadual de passageiros, para operar a ligação de São Félix do Xingu (PA) a Carazinho (RS).

No entanto, afirma que, quanto ao veículo envolvido no acidente, consta como inativo no sistema da ANTT e está com Certificado de Segurança Veicular vencido, ou seja, não poderia estar sendo utilizado pela empresa.

Para o advogado da empresa, Moisés Santos, a informação não procede.

“Temos linhas interestaduais ligadas à ANTT por muitos anos, como vamos ter ônibus irregular? É um ônibus novo, passou por fiscalização da Agência no Pará, Goiás, e é extremamente desconfortável o que estão dizendo”, salienta. “Inclusive, a documentação do seguro e licença vencerão em 2021”, afirma. 


Fotos: Reprodução/Portal Tupã Mais

Veja também