Estado anuncia aporte financeiro de  R$ 5,5 milhões ao Hospital de Esperança

Repasse será dividido em 7 parcelas de R$ 785,7 mil e começará a ser pago a partir de junho; presidente do HE avalia que recurso estadual não será suficiente para quitar dívidas do hospital do câncer

PRUDENTE - CAIO GERVAZONI

Data 21/05/2022
Horário 05:12
Foto: Governo do Estado
Rodrigo Garcia anunciou repasse ao HE durante coletiva de imprensa no Centro Cultural Matarazzo, em visita à região nesta sexta
Rodrigo Garcia anunciou repasse ao HE durante coletiva de imprensa no Centro Cultural Matarazzo, em visita à região nesta sexta

Entre os diversos anúncios durante o evento “Governo na Área”, em sua passagem pela região de Presidente Prudente, o governador do Estado de São Paulo, Rodrigo Garcia (PSDB), anunciou durante coletiva de imprensa no Centro Cultural Matarazzo, em Prudente, na manhã desta sexta-feira, um aporte financeiro de R$ 5,5 milhões ao Hospital de Esperança a serem pagos em sete parcelas de R$ 785.714, 28 mil a partir de junho. 
“O convênio será assinado agora neste mês de junho. Nós passaremos R$ 5,5 milhões em sete parcelas para que o hospital do câncer possa atender ainda mais nossa população. O Hospital de Esperança presta um serviço fundamental e conta agora com recursos do Estado para apoiar sua iniciativa”, declarou Rodrigo Garcia, ao ser questionado de como e quando se daria o repasse do aporte estadual ao HE. 
Com semblante neutro, o presidente do Hospital de Esperança, Felicio Sylla, relatou que recebeu com gratidão o anúncio dos recursos estaduais destinados a instituição, porém, esperava que a quantia fosse mais vultuosa. Diante do recurso apresentado, Sylla argumentou que a crise financeira do HE não irá sofrer alteração e que o hospital fará contrapartidas, com prestação de serviços, para receber o valor anunciado pelo Estado. “Na situação que estamos, qualquer ajuda é bem-vinda. Só que estávamos esperando uma quantia bem vultuosa e não essa. Estas parcelas não virão para o hospital integralmente, nós vamos ter que fazer contrapartida. Vamos ter que prestar serviços para o Estado. Então, nossa situação financeira vai ficar a mesma. A única vantagem que vejo, é que nós vamos conseguir atender mais pessoas”, dissertou o presidente do HE.
“Esse dinheiro não entra para o hospital pagar conta, pagar luz ou pagar funcionários. Ele vai ser destinado a esta prestação de serviços que nós vamos firmar”, realçou Sylla, que também pontuou que a fila de atendimentos do HE não será zerada. “Isso daí precisa de muito recurso para poder zerar, porém, vamos acolher toda a população que este convênio permitir, embora este dinheiro não seja o ideal”. 
No final do ano passado, o Hospital de Esperança pediu ao governo federal um aumento do teto que é destinado para o atendimento do sistema SUS (Sistema Único de Saúde) na instituição, porém, ainda não foi atendido e depende de um intermédio do governo de São Paulo para que o repasse seja garantido. Na manhã desta sexta-feira, Sylla aproveitou a ocasião e questionou o secretário da Saúde do Estado de São Paulo, Jean Carlo Gorinchteyn, sobre o tema. Segundo o presidente do HE, a resposta de Gorinchteyn é que o Estado irá analisar o pedido. 

Histórico da crise

Atualmente, o déficit do Hospital de Esperança chega à cifra de cerca de R$ 5 milhões, de acordo com a instituição.
Como noticiado por O Imparcial, em meados do mês passado, o HE anunciou uma junção de departamentos administrativos com a Santa Casa de Misericórdia de Presidente Prudente e uma série de corte de gastos, com a demissão de cerca de 180 funcionários, para poder manter o hospital de portas abertas para a população da região que necessita de atendimento do Hospital de Esperança. 
No começo do ano, em janeiro, a instituição firmou um convênio com a Unimed de Presidente Prudente. Naquela ocasião, foi anunciado que 60% dos atendimentos iriam ser destinados aos pacientes do SUS e 40% aos beneficiários do plano particular. 
Também em janeiro, na primeira reunião da Unipontal (União dos Municípios do Pontal do Paranapanema) no ano, sediada no auditório do Hospital Esperança, o presidente do HE apresentou um pedido de auxílio mensal por parte dos municípios do oeste paulista e apresentou a situação de crise financeira do hospital aos prefeitos. 
Em agosto do ano passado, o presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), conheceu a estrutura do Hospital de Esperança. Naquela ocasião, Bolsonaro, em seu discurso pela passagem em Prudente, disse que o credenciamento do Hospital de Esperança junto ao SUS (Sistema Único de Saúde) "não é virtude, mas obrigação do governo". "Satisfação de estar aqui e, juntamente com o Queiroga, ser responsável pelo credenciamento. Há demandas semelhantes ao daqui em outras cidades e não vamos medir esforços, independentemente de partido político da cidade. Esse ato abre horizontes para que o hospital possa melhor se preparar e equipar. Estou muito feliz em poder servir ao próximo", declarou.
Em junho de 2021, ocorreu o credenciamento do HE ao SUS durante encontro entre o prefeito Ed Thomas (PSB) e o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, em Brasília. Tratou-se de um longo processo de habilitações de serviços que o hospital concretizou passo a passo. Para chegar em condições de recebê-lo, a unidade especializada em oncologia teve que cumprir todas as exigências do órgão público. Ou seja, antes do credenciamento, o hospital já tinha que estar em pleno funcionamento e oferecendo todos os atendimentos para conseguir a habilitação como uma Unacon (Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia).

Foto: Arquivo


Conforme presidente do HE, recurso anunciado é insuficiente para quitar dívidas do hospital

CONFIRA TAMBÉM

Governo de São Paulo libera repasse de R$ 5,5 milhões ao Hospital de Esperança

Regente Feijó oferece ajuda mensal ao Hospital de Esperança

Edson & Hudson faz show em prol do Hospital de Esperança

Sociedade se mobiliza para ajudar Hospital de Esperança

Prefeito de Santo Anastácio oferece ajuda mensal ao Hospital de Esperança

Presidente do Hospital de Esperança pede apoio a prefeitos da região

Hospital de Esperança e Unimed firmam convênio

Veja também