Estado anuncia vacinação de profissionais da educação de 18 a 46 anos

Público será imunizado de 21 a 31 de julho, visando à retomada das atividades presenciais em sala de aula no segundo semestre

REGIÃO - WEVERSON NASCIMENTO

Data 19/05/2021
Horário 20:35
Foto: Governo do Estado
Confira a projeção do calendário de vacinação, que engloba os profissionais da educação
Confira a projeção do calendário de vacinação, que engloba os profissionais da educação

O governador João Doria (PSDB) anunciou no início da tarde desta quarta-feira, em coletiva de imprensa no Palácio dos Bandeirantes, a ampliação do calendário vacinal contra o novo coronavírus para os profissionais da educação. O público de 18 a 46 anos será imunizado de 21 a 31 de julho, visando à retomada das atividades presenciais em sala de aula no segundo semestre.
“O Estado de São Paulo é o primeiro a vacinar professores e profissionais da educação. Vacinar os profissionais de 18 a 46 anos em julho nos garante que teremos um segundo semestre muito melhor”, disse o secretário da Educação, Rossieli Soares.
A ampliação da vacinação foi vista com necessária, conforme detalha o presidente do Sindicato das Escolas Particulares de Presidente Prudente e Região, Antonio Batista Grosso. Para ele, a imunização dos profissionais é de fundamental importância e deve ser feita o mais rápido possível. “A vacina vai proporcionar aos profissionais uma maior tranquilidade de trabalho. Nós somos favoráveis à imunização dos professores, pois quanto melhor o bem-estar deles, melhor será a produção no sentido da educação, que é o que interessa para todos nós”, expõe.

“Imunização tardia"

A presidente do Sintrapp (Sindicato dos Servidores Municipais de Presidente Prudente e Região), Luciana Telles, órgão que defende os interesses dos professores da rede municipal, detalha que o sindicato vê o anúncio como uma esperança, mesmo que tardia. Isso porque no dia 10 de abril deste ano, o Estado deu início à vacinação de profissionais a partir de 47 anos, no entanto, destaca que eles não foram vacinados em sua totalidade. “Se não houver doses para todos, será mais um motivo para suspender qualquer retorno presencial nessa fase crítica”, destaca. 
O coordenador regional da Apeoesp (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial Estado de São Paulo), William Hugo Correa dos Santos, por sua vez, também destaca que o calendário para o público específico se deu de forma tardia, pois o grupo (18 a 46 anos) deveria ter sido imunizado no planejamento que previa a vacinação de profissionais a partir de 47 anos. Desta forma, todos já estariam vacinados contra o novo coronavírus. 
William também reforça que, receber a vacina no período estipulado pelo governo do Estado (21 a 31 de julho), não garantirá a imunização completa dos profissionais para o início das atividades presenciais em sala de aula no segundo semestre.
A reportagem abriu espaço para a Secretaria Estadual de Educação comentar sobre o calendário adotado, contudo, não recebeu um posicionamento até o fechamento desta edição. 

SAIBA MAIS
O governo de São Paulo também vai ampliar a vacinação para pessoas com comorbidades e pessoas com deficiência permanente (BPC - Benefício de Prestação Continuada) de 40 a 44 anos de idade. Este grupo começa a ser imunizado a partir do dia 28 deste mês. No mês de junho, portanto, o Estado pretende concluir a vacinação de todas as pessoas deste público.
Para dar continuidade ao PEI (Plano Estadual de Imunização), Doria também informou que de 1º a 20 de julho, o Estado pretende vacinar pessoas de 55 a 59 anos. Na coletiva de imprensa, o governador também anunciou a prorrogação da fase de transição do Plano São Paulo para todo o Estado até o próximo dia 31 deste mês. A partir de 1º de junho, o governo vai iniciar uma nova fase de gestão da pandemia, com ampliação do horário de funcionamento dos estabelecimentos comerciais até às 22h e a testagem rápida de pessoas sintomáticas.

Veja também