Gestante é presa após furtar ‘cofrinho’ com doações em dinheiro

Segundo a Polícia Civil, sempre que detida ela é beneficiada com habeas corpus coletivo por ter filhos menores e por estar grávida

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 22/09/2020
Horário 19:03
Polícia Civil - Caixinha foi encontrada dentro de uma lata de lixo Polícia Civil - Caixinha foi encontrada dentro de uma lata de lixo Imagem: Polícia Civil - Caixinha foi encontrada dentro de uma lata de lixo

Na tarde de hoje, duas pessoas foram presas em Mirante do Paranapanema após furtarem uma caixinha de papelão com doações em dinheiro. O que chama a atenção é que, apesar do baixo valor subtraído, os acusados são reincidentes na prática e já foram presos diversas vezes no município.

De acordo com o delegado João Paulo Tardin, a mulher de 20 anos está grávida e possui cinco flagrantes entre furto, tráfico de drogas e corrupção de menores. Segundo ele, a investigada corrompia os irmãos menores de idade para a prática criminosa. 

“Atualmente, ela goza de medida cautelar, porque é sempre beneficiada com habeas corpus coletivo por ter filhos menores de idade e por estar grávida”, explica.

Já o comparsa dela, de 22 anos, possui quatro antecedentes, o que inclui tráfico de drogas e furtos. Segundo o delegado, ambos tinham um relacionamento amoroso e saíram da prisão recentemente, no entanto, voltaram a cometer os delitos. 

Distraíram a vendedora

No boletim de ocorrência, a Polícia Militar relata que o furto da caixinha com doações ocorreu em uma loja de celulares.

Conforme a corporação, a funcionária informou que duas pessoas haviam comparecido ao estabelecimento, oportunidade em que a acusada ofereceu para a venda um celular usado.

Após a proposta ter sido negada pela funcionária, a investigada e o companheiro foram embora. Depois de alguns minutos, os criminosos voltaram, desta vez, ela pediu para trocar moedas, o que também foi recusado pela vendedora.

Porém, a acusada solicitou que emprestasse uma caneta para fazer uma anotação, e quando a vendedora virou para pegar, a criminosa aproveitou para cometer o furto.

Passaram-se alguns minutos, até que a vendedora percebeu que o “cofrinho” de papelão com doações que estava sobre o balcão havia sido furtado. A ação foi gravada pelo sistema de monitoramento da loja, que confirmou o fato.

De acordo com a Polícia Militar, ambos foram reconhecidos por terem envolvimento em outros furtos na cidade. Com base nas características dos autores, os militares iniciaram diligências e os localizaram pela Avenida Zil Brasil, perto do cemitério.

A dupla foi abordada e com o homem havia R$ 12,71 – valor destinado à doação e que estava na caixa.

Durante o flagrante, a mulher confessou o furto, e ambos indicaram o local onde haviam dispensando o cofre de papelão. O objeto estava dentro de uma lata de lixo.  

Prisão sem fiança

Depois de capturados, os acusados foram apresentados na Delegacia de Polícia Civil, onde o delegado João Paulo Tardin decretou a prisão em flagrante delito, sem arbitrar fiança. 

Por se tratar de infração cuja pena máxima é de quatro anos, e considerando o fato de que os indiciados possuem imensas fichas criminais, ou seja, reincidentes na prática de crimes patrimoniais, a Polícia Civil representou pela conversão da prisão em preventiva.

A dupla deve passar por audiência de custódia amanhã, o que determinará se o casal continuará ou não detido.

SAIBA MAIS

Rapaz tenta registrar B.O contra PM, mas acaba preso por tráfico

Após prisão, rapaz quebra o vidro de viatura e tenta fugir da polícia

Veja também