Indústria tem 2º aumento em postos de trabalho

“A economia ainda está retraída, estagnada, e ela piora a cada mês. A melhora de abril é importante, mas ainda é pequena", finaliza.

PRUDENTE - Mariane Gaspareto

Data 15/05/2015
Horário 08:50
 

A indústria regional teve um aumento de aproximadamente 900 postos de trabalho em abril, conforme o levantamento sobre o nível de emprego industrial nas diretorias regionais do Ciesp/Fiesp (Centro e Federação das Indústrias do Estado de São Paulo). Presidente Prudente apresentou, dessa forma, seu segundo resultado positivo no ano, com uma variação de 1,90% no mês passado, ante a variação de 0,19% de março.

Janeiro e fevereiro haviam apresentado indicadores negativos, de 1,11% e 1,22%, respectivamente, e no acumulado do ano, a variação também é negativa em 0,28%, com uma queda de aproximadamente 150 postos de trabalho. Ao se avaliar o acumulado dos últimos 12 meses, a perda de postos é ainda maior, de cerca de 2,7 mil empregos (-5,30%). Ao comparar o dado de abril deste ano com o do ano passado, o cenário também é de decréscimo, visto que a variação apresentada em 2014 foi de 3,27%.

No ranking das diretorias regionais do Ciesp/Fiesp, Prudente ocupa o quarto lugar entre os melhores resultados apresentados em abril, atrás de Araraquara, na terceira posição, onde a variação foi positiva em 2,66%; de Sertãozinho, na segunda colocação, com indicador positivo em 3,91% ;e de Jaú, que apresentou a maior variação positiva, de 8,56%. Para o diretor regional do Ciesp/Fiesp, Wadir Olivetti Júnior, o indicador pode sinalizar para uma retomada da economia. "Nós esperamos que seja um sinal de uma recuperação, mas temos que aguardar para ver o desempenho que será apresentado nos próximos meses", pontua. De acordo com Olivetti, é importante que o nível de emprego se mantenha em alta, visto que a geração de emprego e renda melhora as condições de todos, tanto empregados quanto empreendedores, que podem ver seu negócio crescer.

 

Setores


O índice do nível de emprego industrial foi influenciado pelas variações positivas dos setores de coque, petróleo e biocombustíveis (8,90%) e artefatos de couro, calçados e artigos para viagem (2,32%). Segundo o diretor regional do Ciesp/Fiesp, o desempenho no setor do petróleo pode ter sido influenciado pelo início da safra da cana-de-açúcar, período em que as usinas de etanol retomam as contratações de funcionários. "O final do ano é o período em que ocorrem, geralmente, as demissões, e as contratações são retomadas agora", pontua.

Para o diretor da empresa Curtume Touro em Presidente Prudente, Fernando Rodrigues Carballal, o bom desempenho do setor de artefatos de couro quanto à contratação de pessoa não se deve a uma expansão, mas como uma reposição dos postos de trabalho perdidos nos últimos meses. "A economia ainda está retraída, estagnada, e ela piora a cada mês. A melhora de abril é importante, mas ainda é pequena", finaliza.

Veja também