Inveja

Há sentimentos que subitamente irrompem internamente em cada um de nós, e assim assustamos. Muitas vezes, não admitimos sentimentos tais como, ódio, ciúmes, indiferença e inveja. Observamos no outro, mas dificilmente reconhecemos em nós mesmos. E o ódio, por incrível que pareça, se origina bem antes do amor. Negamos, sabotamos, racionalizamos e fugimos quando um deles emerge no relacionamento entre pessoas muito próximas ou até mesmo distantes. 
São assuntos muito aprofundados pela psicanálise. E precoces com relação à faixa etária. Há bebês e crianças em tenra infância já sentindo todos os sentimentos descritos acima. A psicanálise faz uma ponte muito fértil com a mitologia, principalmente a grega. Utiliza numa conjunção constante o famoso Complexo de Édipo. Aprofundando, especificamente nesse mito, podemos observar claramente todos esses sentimentos. Principalmente a inveja. Difícil reconhecer e admitir a inveja entre irmãos, relação mãe e filha, filho e pai, etc., mas realmente é uma realidade. 
Valendo-me do pensamento da psicanalista Gisele Brito (2020), ela nos auxilia dizendo que “a inveja é um dos sentimentos mais primitivos, difíceis e dolorosos e está presente em cada um de nós. A inveja pode estar um pouquinho mais ou um pouquinho menos presente, mas está sempre presente. Não é algo que temos controle, podendo dizer, daqui para frente não terei mais inveja. Não, é algo que vem de dentro. Como diz Sigmund Freud, nós temos uma pulsão de morte, uma pulsão destrutiva. A inveja é o representante psíquico dessa pulsão de morte. Então, ela se faz presente, quer a gente queira ou não. O que a gente sabe é que no momento em que você coloca luz e trabalha esses sentimentos invejosos, você consegue não atuá-los, porque um dos sofrimentos, além de ter o sentimento, é de que se você ataca o outro, depois sente culpa. Você sofre e acaba atacando você mesmo. A importância da gente poder lidar com esse sentimento é de que você possa parar ou conter um circulo diabólico de atacar, sentir culpa e ficar perseguido pela culpa e atacar novamente. Essa que é uma das grandes vantagens da gente poder trabalhar esses sentimentos dentro de cada um de nós”.
A psicanálise se incumbe de forma a expandir e acolher todos esses sentimentos e convertê-los em direção à transformação. Metaforizando, a psicanálise assemelha-se ao caleidoscópio, e assim sucessivos vértices poderão ser construídos pelo enriquecimento da dupla analista e analisando. 
 

Veja também