Jalecos são de uso restrito ao local de trabalho

Especialista afirma que bactérias podem se manter no tecido por até 17 semanas, transmitindo doenças para pacientes ou familiares de profissionais

PRUDENTE - PEDRO SILVA

Data 25/09/2019
Horário 09:15
Paulo Miguel - Jalecos devem ser levados para higienização, ao menos, a cada dois dias
Paulo Miguel - Jalecos devem ser levados para higienização, ao menos, a cada dois dias

É comum, ao transitar próximo a hospitais, observar profissionais utilizando jalecos fora das dependências dos locais de saúde, porém, tal hábito pode ser extremamente prejudicial, não só a pacientes, como também a famílias do profissional de saúde. O infectologista do HR (Hospital Regional) Doutor Domingos Leonardo Cerávolo, de Presidente Prudente, Luiz Euribel Prestes Carneiro, explica que o uso indevido dos jalecos os transforma em um “meio transmissor de doenças”.

O médico esclarece que existem bactérias que se mantêm viáveis por até 17 semanas, levando micro-organismos da rua para pacientes, dentro dos hospitais, e também carregando organismos de dentro dos locais de saúde para os lugares onde o jaleco foi utilizado indevidamente, podendo ser até mesmo bactérias multirresistentes (micro-organismos que apresentam resistência a vários tipos de antibióticos), causando doenças à comunidade. “O uso indevido dos jalecos é um dos fatores de infecções hospitalares”, pontua.

Jalecos são EPIs (equipamentos de proteção individual) e têm a função de proteger o profissional da saúde de bactérias e outras ameaças, mas, principalmente, são usados para que doenças não sejam transmitidas aos pacientes, por isso, o vestuário deve sempre estar limpo e esterilizado. O especialista diz que o ideal seria usar um jaleco a cada dia, mas devido às circunstâncias, deve-se ao menos lavar adequadamente o equipamento a cada dois dias.

Segundo a Norma Regulatória 32, que dispõe sobre segurança e saúde no trabalho em serviços de saúde, “os trabalhadores não devem deixar o local de trabalho com os equipamentos de proteção individual e as vestimentas utilizadas em suas atividades laborais”. Segundo o infectologista, a infecção hospitalar é “um grande pesadelo, no mundo todo”.

Punição

O médico diz que os profissionais da área tem obrigação de alertar quando presenciado o uso dos equipamentos fora das dependências de hospitais. Segundo ele, o uso do indevido do jaleco pode ser passível de punição, desde advertências, até mesmo multas estipuladas por comissões encarregadas do controle de infecções dos hospitais, uma vez que regulamentos e avisos são direcionados aos profissionais da área.  

Cuidados

Segundo o especialista, o treinamento para os profissionais deve ser constante, pois é natural se esquecer ou relaxar em relação a alguns cuidados. Nunca se deve utilizar o jaleco com outras funções, que não a proteção dentro do ambiente médico, e é preciso sempre higienizá-lo utilizando as técnicas corretas.

Para garantir que o equipamento seja utilizado de forma correta, o profissional não deve sair do hospital vestindo o jaleco. Deve guardá-lo separado de roupas comuns, e lavá-lo constantemente. Também é recomendado que o profissional tenha mais de um exemplar, para fazer uso alternado, garantindo a higienização correta.

Veja também