Publicidade

Locação de imóveis e a pandemia: crise ou oportunidade?

Bruna Melo

COLUNA - Bruna Melo

Data 19/06/2020
Horário 06:00

A pandemia e a crise financeira que vivemos estão a todo momento nos noticiários e, na maioria das vezes, somente é ressaltado seu lado negativo. No editorial do último domingo, 14 de junho de 2020, O Imparcial, por atitude louvável, ressaltou o lado positivo, o número de curados em primeiro lugar, diferente da grande maioria que ressalta o lado negativo.

E por que não fazermos isso com o mercado imobiliário? Estamos no meio da crise financeira e é difícil fazer algum juízo de valor ou projeção da dimensão do que nos aguarda. Mas, trabalhando com dados concretos e pessoas com relevância no setor das locações de imóveis, não me pareceu que a crise esteja afetando de tal maneira o setor imobiliário e suas ramificações. Passamos aos depoimentos:

SAMBURÁ IMÓVEIS

Gabriel Zaupa: A procura por imóveis está em alta nos mais diversos contextos, inclusive para locação. A necessidade de habitação sempre existiu e sempre existirá, mesmo em situações como a que vivemos hoje. Somado a isso, a disponibilidade de recursos e taxas reduzidas de financiamento imobiliário, surge uma excelente oportunidade para aquisição de moradia própria. Do mesmo modo, os investidores estão cada vez mais atuantes em nosso mercado. Com a taxa básica de juros em menor patamar histórico, os investimentos em renda fixa perderam força e o mercado imobiliário é reduto de rentabilidade, segurança e solidez.

IMOBILIÁRIA RIO BRANCO

Alfredo Martins: A pandemia mexeu bastante com a economia. E neste cenário de realocação das empresas e pessoas à nova realidade econômica, o mercado imobiliário também absorveu essas mudanças. Muitas pessoas afetadas pela crise mudaram de residência, e em virtude disso, o setor das locações teve uma grande procura. As empresas também passaram por esse processo de readequação, movimentando o mercado imobiliário. A procura por imóveis residenciais sempre foi muito grande e continuou na pandemia, a compra para locação destes imóveis se torna um excelente investimento.

MELL IMÓVEIS

Mel Minzoni: O mercado imobiliário já passou e superou diversas crises, mas nunca vivenciei uma pandemia. No início fiquei bem receosa, mas tive uma grata surpresa, pois a demanda para locação foi excelente. Por exemplo, um imóvel que desocupou durante a pandemia, com valor do aluguel em R$ 1.350 e que, foi alugado novamente em curto espaço de tempo por R$ 1.500. O gráfico da rentabilidade dos investimentos em imóveis sempre foi positivo e se torna ainda mais atraente com a Selic num patamar histórico mínimo de 2,25% ao ano.

BELMONT IMÓVEIS

Rinaldo Almir: Vivemos em um período de mudanças devido a esta pandemia. Nossa empresa continua atendendo nossos clientes, porém buscando novas formas de trabalho para se adequar a este novo tempo. Procuramos manter a qualidade de nossos serviços tanto no atendimento presencial quanto on-line e com isso estamos atingindo nossas metas na locação e venda. Esta é a hora do setor imobiliário se reinventar com o auxílio das mídias sociais.

Desta maneira, a crise gera uma infinidade de oportunidades, porém vai depender sob qual ótica iremos olhar para ela, se do positivo e agarrar as oportunidades, ou do negativo, e esperar que outras pessoas o façam.

Encerrando, trago as palavras de Theodore Roosevelt, autor e político norte-americano que serviu como o 26º presidente dos Estados Unidos: “Todo homem que investe em um imóvel bem selecionado, em uma comunidade próspera, adota o método mais seguro de se tornar independente. Imóvel é a base da riqueza". E como diz o ditado popular: “cavalo arriado só passa uma vez”.

 

 

Veja também