Maratonista

JOSÉ COSTA

COLUNA - JOSÉ COSTA

Data 22/07/2021
Horário 03:33

O maratonista irapuruense, Luiz Roberto de Paula, que está se preparando para as Olimpíadas de Tóquio como representante brasileiro, após os treinos de ontem encaminhou um vídeo para amigos de Irapuru, contestando as informações divulgadas pela imprensa de que ele, como também seu irmão e técnico Luiz Fernando de Paula, são pacaembuenses. Rebateu energicamente, alegando que apenas nasceram em Pacaembu e nunca residiram naquela cidade, mas sempre em Irapuru. Por ser um parto de duplo, a família optou por um hospital, sendo escolhido o de Pacaembu, cidade vizinha.

Irapuruense
No vídeo que está circulando nas redes, os irmãos afirmam que amam Irapuru e têm compromisso com a cidade, onde sempre viveram. Foi ali que cresceram, estudaram e tiveram gosto pelo atletismo, talvez herdando de seu pai Joaquim Henrique de Paula, o “Quincão”, um dos maiores jogadores de futebol da cidade, o gosto pelo esporte. Acrescentam que estão alertando os jornalistas, quando em entrevistas, que são irapuruenses, pois via de regra muitos divulgam que eles são pacaembuenses, o que não condiz com a verdade. E textualmente Luiz Ricardo completa: “temos orgulho de sermos irapuruenses”.

ONG
Os “Quinquinhas”, como são carinhosamente conhecidos em Irapuru, preocupados com o futuro de muitas crianças, criaram na cidade o Instituto Gêmeos do Brasil, uma ONG (organização não governamental) com a finalidade de preparar crianças do município para o atletismo. Luiz Fernando de Paula que também era maratonista, e competia juntamente com seu irmão Luiz Ricardo de Paula, que, por lesão, foi obrigado a exercer apenas as funções de treinador do irmão, uma vez que conhece muito bem detalhes daquela modalidade, como também as limitações e potencial físico do irmão. Ele administra o instituto que, em função da pandemia, está com as atividades suspensas.
  
Nutricionista fisiculturista

A nutricionista em Lucélia, Mônica Fernandes, conquistou no último sábado (17), o segundo lugar em campeonato de fisiculturismo realizado em São Paulo, promovido pela Federação Paulista de Musculação Atlética (NABBA/WFF). Competindo entre os estreantes, ela ficou com o título de vice-campeã na categoria wellness até 1,63m. “Com muita felicidade dedico esse prêmio à minha família, meus pacientes e todas as pessoas que confiam em meu trabalho”, disse a competidora. O evento contou com participantes de diversas regiões do país, em diferentes categorias, em modalidades para homens e mulheres. Além dos estreantes, que disputaram no sábado (17), a competição teve andamento no domingo (18), com o Paulistão 2021.

Câncer
O Lions Clube de Irapuru Caçula iniciou ontem a campanha “Doar faz bem para o coração”, que vai até 15 de outubro. A campanha vai arrecadar mechas de cabelos que serão doadas para o Hospital Regional do Câncer de Presidente Prudente, para que sejam confeccionadas perucas para uso dos pacientes em tratamento do câncer. Vários salões de belezas da região estarão com uma urna coletora das mechas para posterior doação para aquele hospital. A campanha tem o apoio da Aneethum, uma das maiores indústrias de produtos de beleza e tratamento de cabelos do Brasil.

Venezuelanos
Numa casa da Rua Yutaka Abe, atrás da Etec Amin Jundi, em Osvaldo Cruz, moram Mejias Darlys Del Valle, seu marido, o padeiro e auxiliar geral Sisneros José Angel, o filho Edward Enrique, de 15 anos, e o pequeno Angel Rafael. A família veio fugida da Venezuela e Darlys conta que na Venezuela era professora, mas teve que abandonar tudo em busca de pelo menos comida e um lugar para viver. O governo brasileiro tem em andamento a Operação Acolhida, que já encaminhou para várias cidades cerca de 50 mil refugiados venezuelanos. Deixar o país onde vive para morar em outro lugar nem sempre é fácil. Mas, para muitos, não é uma escolha. O exemplo de Darlys e sua família deve nos fazer pensar sobre as condições de vida dessas pessoas, forçadas a sair de seu país de origem devido a perseguições, conflitos armados e crises humanitárias... e ao mesmo tempo para termos noção da cidade em que nascemos ou escolhemos para viver.

Reflexão em trovas
Atirei uma pedra n´água
De pesada foi ao fundo...
As pedras são nossos erros
E a água, o pobre mundo.
                          (José Costa)

Veja também