Meu coração

Jair Rodrigues Garcia Júnior

O coração é constituído pelo músculo estriado cardíaco (miocárdio), subdivido em dois átrios e dois ventrículos (as câmaras) que se comunicam por meio de válvulas, artérias e veias coronárias e nodos sino-atrial, átrio ventricular e feixes nervosos, que dão autonomia e ritmo de contração. Uma bomba fisiológica muito eficiente para impulsionar o sangue arterial (rico em O2) que perfunde todos os órgãos e tecidos, e o sangue venoso (rico em CO2) que segue para as trocas gasosas pulmonares.

 

REMODELAÇÃO
 Tal como um músculo, tem capacidade de se adaptar aos diferentes estímulos, principalmente ao esforço físico, que o faz hipertrofiar, com aumento da espessura das paredes e do volume das câmaras. Em repouso, seja você sendentário ou atleta, o coração bombeia cerca de 5L/min (débito cardíaco), o que pode aumentar para até 20L/min em sedentários e para pouco mais de 30L/min em treinados. A adaptação morfológica (tamanho) resulta na adaptação funcional de maior eficiência no bombeamento de sangue a cada contração.

FUNÇÃO
O coração tem um ritmo próprio (frequência cardíaca - FC) ditado pelo seu marcapasso natural, o nodo sino-atrial, que despolariza e envia impulso elétrico para contração do miocárdio no ritmo de 100 bpm. No entanto, conta também com controle dos sistemas nervoso (SN) e endócrino para acelerar (taquicardia) ou desacelerar (bradicardia) a FC. Em repouso predomina o controle do SN parassimpático, por isso a FC normal é de 70 bpm. Em situação de estresse ou esforço a FC pode chegar a 200 bpm para aumentar o débito cardíaco. Em pessoas treinadas, a FC de repouso é de 40-50 bpm apenas, em razão da maior eficiência do coração e maior tônus do SN parassimpático.

APTIDÃO AERÓBIA
É a capacidade de produzir a maior proporção da energia necessária durante um esforço usando O2. A aptidão aeróbia é determinada por três fatores: o débito cardíaco (função do coração; vista acima) e transporte (concentração de hemácias), a diferença artério-venosa de O2 (quanto de O2 é captado pelos músculos) e o sistema oxidativo muscular, que usa o O2. Este último se refere ao número e tamanho das mitocôndrias nas fibras musculares e à quantidade de enzimas oxidativas.

CONSUMO MÁXIMO DE O2 – VO2 máx
A capacidade para uma corrida, trilha de bike etc, depende da adaptação do coração e dos demais fatores acima. Um sedentário tem VO2 máx de 40 mL/Kg/min, enquanto a pessoa bem treinada ou atleta pode chegar em 65 mL/Kg/min. Isso reflete em seu ritmo de corrida na esteira ou na rua, por exemplo.

RESERVA
O coração do treinado tem o miocárdio remodelado, hipetrofiado, maior, forte, mais vascularizado e trabalha com FC reduzida em repouso e exercício submáximo, tem o que pode ser denominado de reserva fisiológica. Essa reserva pode prevenir problemas cardiovasculares e se configurar num fator protetor na ocorrência de obstrução de artéria coronária e isquemia parcial do miocárdio. Treine seu coração.

 

O coração do treinado tem o miocárdio remodelado, hipetrofiado, maior, forte, mais vascularizado e trabalha com FC reduzida.

Veja também