Motoristas e empresas se reúnem para negociação

PRUDENTE - Victor Rodrigues

Data 13/07/2016
Horário 08:14
 

Os motoristas e cobradores de ônibus do sistema circular coletivo de Presidente Prudente se reúnem na manhã de hoje com as empresas TCPP (Transporte Coletivo de Presidente Prudente) e Pruden Express para mais uma negociação da campanha salarial. De acordo com Waldir Nole Schiavão, presidente do Sintrattepp (Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Terrestres de Presidente Prudente e Região), a categoria está mais otimista para fechar o acordo com a recente divulgação do aumento da tarifa do ônibus de R$ 3 para R$ 3,25, prevista para vigorar a partir de amanhã. "Com o aumento, é possível que as empresas nos apresente algo melhor, já que a receita deverá melhorar, e o grande problema para atender nosso pedido é a falta de recursos. Caso não atendam as nossas expectativas, deveremos partir para a paralisação", comenta.

Jornal O Imparcial Tarifa de ônibus em Prudente passará dos R$ 3 para R$ 3,25 a partir desta quinta-feira

Os funcionários têm sinalizado greve desde o fim do mês passado. Como noticiado na ocasião por O Imparcial, em um manifesto, para demonstrar o estado de alerta, os ônibus circularam no dia 30 de junho com os faróis acesos.

Segundo Waldir, a reivindicação é o reajuste salarial de 15%, e as negociações tiveram início em maio, data-base da categoria. As empresas, por sua vez, representada pela advogada Renata Moço, diz que tanto a TCPP quanto a Pruden Express se mantêm abertas ao diálogo. "Elas se colocam à disposição. Isso foi informado para a direção do sindicato por escrito. Mesmo diante de toda a crise, as empresas pretendem negociar da melhor maneira possível, de forma que não prejudique os trabalhadores, e também não fique além de suas condições financeiras", esclarece.

 

Reajuste dos ônibus

A alteração da tarifa deixou os funcionários esperançosos, mas, por outro lado, descontentou os usuários do serviço. O corretor de imóveis, Cláudio Correia, usa quatro ônibus todos os dias para ir e voltar do trabalho e deverá gastar R$ 13 por dia.  "Para mim, talvez compense pensar em usar os serviços de mototáxi. Somente para ir ao trabalho de ônibus, gastarei R$ 7, que o mototáxi me cobra R$ 10, com saída da porta de casa até a porta da corretora",  declara.

Dandara Fernandes Palmeira, 19 anos, auxiliar administrativa, trabalha no Aeroporto Estadual de Presidente Prudente, e também utiliza quatro linhas de ônibus por dia. Ela não gastará tanto quanto Cláudio, porque possui o cartão de transporte das empresas, que oferece a opção de integração entre as linhas gratuitamente. "Mas, mesmo assim, ainda acho caro", declara. Soellyn Pereira da Silva também discorda do reajuste. "O preço não condiz com o serviço. Mas, infelizmente, não temos opção mais barata para nos locomover", frisa.

Questionada novamente pela reportagem, a advogada da TCPP e Pruden Express, Renata Moço, diz que Prudente possui a menor tarifa em todo os Estado de São Paulo se comparada com cidades do mesmo porte, acima de 200 mil habitantes. Além disso, ela defende que a alteração de preços é necessária para recompor os gastos com a manutenção dos serviços, já que os itens envolvidos no transporte coletivo tiveram alta.  "As empresas continuarão defasadas. Esse valor foi calculado para 2015. A tarifa pretendida com esta ação em 2016 seria de R$ 3,82. Existe um desequilíbrio financeiro que é preciso ser contornado", pontua.

 

Veja também