Municípios comentam notas recebidas

Ranking da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental atribui notas às cidades, que avaliam se elas estão ou não perto da universalização do saneamento

REGIÃO - GABRIEL BUOSI

Data 08/09/2020
Horário 07:22

O Ranking Abes (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental) da Universalização do Saneamento 2020 utiliza os seguintes indicadores para elencar em qual categoria o município será enquadrado: abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto, coleta e destinação adequada de resíduos sólidos. A partir disso, as cidades recebem uma nota, que avaliam se elas estão ou não perto da universalização do saneamento. Para saber se houve avanços em relação ao que foi apontado no relatório, a reportagem ouviu algumas prefeituras, que comentaram sobre o estudo. 
Dracena, por exemplo, foi uma das seis cidades a conquistar um lugar na segunda melhor categoria, intitulada de “Compromisso com a universalização”. A nota obtida foi 484,68. “Recebemos com muita alegria a classificação no ranking, o que representa fruto de muito trabalho, gestão de qualidade, estudos e investimentos”. A administração lembra que para obter a pontuação como prioridade, houve levantamentos sobre o monitoramento na captação, laudos de análises dos parâmetros básicos operacionais de água tratada ou bruta, laudos de coleta e inserção mensal de dados no sistema público de abastecimento na saúde e no Sistema Nacional de Vigilância e Qualidade de Água.
Aponta ainda que foram valorizadas etapas concluídas em algumas ações, conforme cronograma, ferramentas de comunicação, execução, documentos comprobatórios atuais, ação no programa Município Verde Azul, fornecimento dos relatórios gerenciais de desempenho da operadora, informação do número de outorgas, tipo de tratamento e hidrômetro de captação subterrânea com informativo de volume captado diariamente. “O conjunto de informações foi determinante para a classificação em nível estadual na Gestão de Águas”.
Dracena comenta ainda que a empresa pública municipal responsável pelo tratamento de água, a Emdaep (Empresa de Desenvolvimento, Água, Esgoto e Pavimentação de Dracena), que tem “papel fundamental” neste resultado, ao desenvolver, por exemplo, o plano de combate a perdas de água, com R$ 119 mil do Fundo Estadual de Recursos Hídricos para a troca de 700 hidrômetros antigos. “A Emdaep tem como objetivo principal a distribuição de água e coleta de esgoto. Toda água é captada por poços semiartesianos, passando por um processo de análise laboratorial diário para seu tratamento”. 

"Empenho para universalização"

A Divisão Municipal de Meio Ambiente de Presidente Bernardes – cidade que recebeu nota 377,87, afirma que o relatório aponta para uma realidade passada e comenta que atualmente o município conta com um plano de saneamento básico realizado, registrado e homologado, com projetos de melhorias de redes de captação de esgoto e de coleta de resíduos. Conforme a divisão municipal, com a instalação e construção da rede de esgoto dos distritos de Araxans e Nova Pátria, Bernardes será uma cidade com 100% de cobertura de esgoto.
Presidente Prudente, também na categoria “Empenho para a universalização”, afirma que já houve avanços em relação a este ranking, sendo que, por exemplo, no dia 13 de setembro de 2018, a Sabesp (Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo) anunciou oficialmente a universalização dos saneamento básico em Presidente Prudente, com 100% de abastecimento de água, coleta e tratamento de esgoto. “Com base neste desempenho, o município acredita estar em situação privilegiada no que diz respeito a saneamento básico”. A nota obtida foi 400,98. 

SAIBA MAIS

Ranking avalia universalização do saneamento básico na região 

Veja também