Núcleo Ttere faz mediação para inclusão de PCDs no mercado de trabalho

Organizadora social da instituição, Ana Cristina Fonseca, explica como funciona intermédio com as empresas, serviços oferecidos pela entidade e principais desafios no cenário atual

PRUDENTE - CAIO GERVAZONI

Data 27/03/2022
Horário 10:55
Foto: Divulgação/Facebook Núcleo Ttere
Núcleo Ttere atende pessoas com deficiência física, mental, visual, auditiva, múltipla e crianças e adolescentes em situação de deficiência ou dificuldade de aprendizagem
Núcleo Ttere atende pessoas com deficiência física, mental, visual, auditiva, múltipla e crianças e adolescentes em situação de deficiência ou dificuldade de aprendizagem

A reportagem conversou com a organizadora social e membra da equipe técnica do Núcleo Tterê de Trabalho-Realização de Presidente Prudente, Ana Cristina Fonseca, sobre a mediação que a entidade realiza para a inclusão de PDCs (pessoas com deficiência) no mercado de trabalho. 
Segundo a profissional, o Núcleo Ttere exerce uma ponte com empresas do município, no sentido de centralizar currículos de PCDs e selecionar perfis de acordo com o que é solicitado pelo empregador. “Selecionamos a pessoa com deficiência que se aproxima do perfil [da empresa]. Encaminhamos o currículo dessa pessoa para que a empresa faça analise e caso tenha interesse é agendada uma entrevista com o candidato”, elucida. Ana explica que, no dia da entrevista, um dos técnicos da entidade, no caso a coordenadora ou a psicóloga do núcleo, acompanha o candidato durante a seleção da vaga. “A partir da contratação [do candidato] inserimos a família dessa pessoa no processo para auxiliá-lo”, realça.
De acordo com a orientadora social, a entidade fornece cursos em formato de oficinas e aulas preparatórias para a capacitação dos PCDs. No ano passado, por exemplo, conforme indica Ana, o Núcleo Ttere encaminhou 20 pessoas com deficiência para vagas de trabalho. “Dessas 20 pessoas, dezessete ainda aguardam colocação no mercado”, relata. 

Principais desafios

A membra da equipe técnica do Núcleo Ttere, Ana Cristina Fonseca, lista os principais desafios da entidade no cenário atual:
- “Conseguir laudo médico para o deficiente intelectual”. Segundo Ana, o laudo é necessário para constatar a deficiência da pessoa. “Sem ele, a empresa não contrata e, se o deficiente intelectual não faz acompanhamento médico, isso dificulta a contratação”; 
- “A distância que separa a empresa, que precisa contratar, da entidade”.  De acordo com a orientadora social, o núcleo não possui um canal de comunicação amplo, que potencialize uma maior sensibilização das empresas; 
- Falta de recursos. “Não temos condições financeiras, mas temos disposição e condições para tal, só teríamos que ter um investidor e um bom marketing”, completa.

Contribuição social

O Núcleo Ttere é uma entidade filantrópica sem fins lucrativos fundada em 18 de abril de 1991, por um grupo de voluntários da sociedade civil, visando profissionalizar e inserir pessoas com deficiência no mercado de trabalho, e, atualmente, também realiza inclusão social de crianças de zero a 10 anos com deficiência. A entidade atende pessoas com deficiência física, mental, visual, auditiva, múltipla e crianças e adolescentes em situação de deficiência ou dificuldade de aprendizagem.

SERVIÇO
A instituição orienta a comunidade prudentina e toda a região que continue proporcionando apoio das atividades do Núcleo Tterê, contatando pelo telefone 3905-1463, do site: www.ttere.org.br ou mesmo no endereço da entidade, Avenida Presidente Juscelino Kubitschek de Oliveira, 7.398, Jardim Regina.

Veja também