O Domingo(2)

Sandro Villar

O Espadachim, um cronista que não é tão esperto a ponto de fazer omelete sem quebrar os ovos.

CRÔNICA - Sandro Villar

Data 17/04/2022
Horário 07:00

Hoje é domingo e o calendário não me deixa mentir. Está lá e bem anotado, informando que hoje é domingo. Talvez o domingo seja o dia mais calmo da semana. As pessoas dormem até mais tarde e, ao que parece, a turma só pula da cama depois das 8 horas da manhã. 

 Bem, só poderia ser 8 da manhã, a não ser que o sujeito esteja com uma baita ressaca ou com alguns calmantes na cuca. Nesses casos - ressaca e calmantes -, o cara dorme até a hora do almoço ou o dia inteiro e ninguém tem nada com isso. Afinal, depois de uma semana de trabalho, o domingo existe pra gente ficar mais tempo dormindo como uma pedra. Por falar nisso, alguém pode confirmar se pedra dorme? Quem inventou esta brincadeira? É boa.

 Mas, dizíamos, que é domingo e um domingo especial: Domingo de Páscoa, a Páscoa do Senhor, que tem um almoço melhorzinho, com bacalhau da Noruega(pra quem pode) e, claro, ovos de Páscoa. Aliás, que tipo de galinha bota ovo de Páscoa? Brincadeirinha de cronista metido a besta, pois ovo de Páscoa não é produzido por ave nenhuma, muito menos galinha.

 Disse no primeiro parágrafo que o domingo talvez seja o dia mais calmo da semana. Trânsito livre. Poucos carros nas ruas e avenidas das cidades, menos nas estradas até porque é o feriado da Semana Santa.   Crianças brincam nos parquinhos. Transeuntes capricham na caminhada, o melhor remédio para o ser humano. Logo cedo os sinos das igrejas tocam incessantemente chamando os fiéis para a missa das sete ou a missa das oito. O bimbalhar dos sinos é uma tradição antiga, principalmente nas cidades pequenas. 

 Bimbalhar? Taí: gostei desta palavra tão em desuso atualmente e até meio cafona. Bimbalhar lembra bimbar, mas deixa isso pra lá. Feliz Páscoa para todos, inclusive para o Zé Lensky e o Zé Bidê, a dupla do barulho, um barulho cuja onomatopeia é BUUUMMM. Abraços e não me levem a bem.


 

DROPS


 

Filme da Semana no Cine Brasil: "A Farra do Viagra", estrelando grande elenco.


 

Diretoria do Itaú abre o jogo: metade com Bolsonaro e metade com Lula. Nem o rei Salomão dividiria melhor.


 

Era tão bom otorrinolaringologista que desatava até nó na garganta.


 

Fique calmo. Tome chá de Calmomila.

Veja também