Publicidade

Operação prende quadrilha especializada em furtos a joalherias

Em Presidente Prudente, duas pessoas foram presas; outras três estavam em cidades de Minas Gerais

REGIÃO - ROBERTO KAWASAKI

Data 04/08/2020
Horário 12:36
Polícia Civil - Acredita-se que grupo tenha praticado outros crimes em Dracena Foto: Polícia Civil - Acredita-se que grupo tenha praticado outros crimes em Dracena

A Polícia Civil deflagrou hoje a operação Midas, que prendeu suspeitos de pertencerem a uma quadrilha especializada em furtos a joalheiras. A investigação começou pela Delegacia Seccional de Dracena e se estendeu para cidades do Estado de Minas Gerais. 

Foram cumpridos sete mandados de busca e apreensão e seis de prisão temporária. Em Presidente Prudente e Araxá (MG), dois homens e duas mulheres foram detidos; em Juiz de Fora (MG), a polícia também prendeu um indivíduo. Outro investigado não foi localizado e é considerado foragido. 

Segundo a Polícia Civil, a investigação foi coordenada pela DIG (Delegacia de Investigações Gerais), Dise (Delegacia de Investigações Sobre Entorpecentes) e Centro de Inteligência Policial.

O pontapé da apuração foi um furto ocorrido no final de março, de onde os criminosos levaram R$ 500 mil em joias de um estabelecimento. Cinco dias depois, um receptador foi preso em Jaú (SP) com os bens furtados. Ao passar por audiência de custódia acabou sendo liberado, mas foi novamente preso na operação de hoje após ser comprovado que ele integrava a associação criminosa. 

Acredita-se que esse não tenha sido o único crime praticado por eles em Dracena. De acordo com a polícia, os integrantes também são suspeitos de terem furtado R$ 60 mil em produtos de uma ótica e relojoaria, em 2017; e R$ 30 mil de uma casa lotérica em 2018.

“Vários dos integrantes já foram presos em flagrante delito e já possuíam antecedentes por furto qualificado, notadamente em joalherias e também já vinham sendo investigados pela Central de Polícia Judiciária de Presidente Prudente pela prática de idêntico delito”, explica a Polícia Civil.

Os presos serão encaminhados a Dracena, onde serão ouvidos e indiciados por furto qualificado e associação criminosa. 

Veja também