Para ser feliz!

-

Data 14/11/2021
Horário 22:16

Começo com uma pergunta: quem não quer ser feliz? Nem é preciso responder, porque a resposta já está gravada no ser da pessoa. Mas devemos entender bem essa realidade, ter consciência de que a felicidade vem de dentro e não das coisas periféricas, de bem-estar, de aliviar sofrimento ou conseguido algum interesse. Nem todos chegam à paz interior, mesmo quem realizou o que queria. Felicidade e paz interior são frutos de estados emocionais, construídos através da experiência autêntica de vida e fortalecidos ainda pela prática da fé. O acúmulo de bens materiais não consegue realizar a pessoa plenamente, porque estará sempre insatisfeita e em busca do que ainda não conseguiu. Numa nomenclatura baseada na fé, dizemos que a felicidade e a paz significam vida de santidade. A felicidade, como privilégio de quem a detém, depende essencialmente de serena e equilibrada esperança e de uma mente emocional dominada, mesmo estando em tempo de provações e sofrimento. Nem tudo é vitória, mas cada ato precisa contribuir para a construção de um ambiente feliz. É nestas condições que está ancorada a proposta do projeto proclamado na Palavra de Deus. Existe um confronto permanente entre o desejo premente de felicidade pessoal e a cultura da hostilidade, também fortemente presentes na realidade atual. Diante disso, a proposta de Jesus é o surgimento de um mundo novo, onde a felicidade deverá ser sem fim, mas depende da pessoa reconhecer os sinais de sua chegada. Supõe ainda fidelidade e compromisso com a verdade e a justiça. Vemos muito desânimo, cansaço e fragilidade das pessoas mediante os enfrentamentos, adversidades e dinâmica do egoísmo presentes na sociedade. Elas ficam fragilizadas e impotentes para agir. O caminho possível de superação é a comunhão com Deus, que acontece quando há consciência de pertença à família divina, porque aí as pessoas experimentam a força da solidariedade fraterna. A sociedade hodierna vive as tensões e as consequências provocadas pela crescente agressividade da força do mal. É quase impossível ser feliz convivendo com um clima de insegurança, medo e violência. São sombras fortes que atingem e desafiam a todos, que evidenciam o quanto a pessoa humana é limitada e incapaz para ser feliz sozinha. Precisa saber que só Deus é o Senhor da história. (Autor: Autor: Dom Paulo Mendes Peixoto, Arcebispo de Uberaba (MG). Fonte: https://www.cnbb.org.br/para-ser-feliz/).

MINI SERMÃO:
33º Domingo do Tempo Comum (Mc 13,24-32)
Diante do mundo que parece condenado à morte, duas posturas surgem: o incrédulo abaixa a cabeça e se desespera convencido de que estamos nos aproximando do fim e; o crente permanece firme no meio da provação, levanta a cabeça e, em todo grito de dor, sabe que o Amor triunfará. Aquele que acredita vê vida e não morte. Quem ama sempre encara a vida como um evento alegre. Sempre espera pelo nascimento de uma nova humanidade. Que os ramos verdes do Amor sempre sejam um convite à vida em Deus. Nosso fim é o Amor e, esse é eterno! (Autor: padre Rafael Moreira Campos).

AGENDA PAROQUIAL: Paróquia Nossa Senhora de Fátima - Presidente Venceslau.
Missas:
Sábado às 19h – Igreja Matriz;     
Domingo às 08h Capela Nossa Senhora Aparecida | 09h30 e 19h – Igreja Matriz


MENSAGEM DO PAPA:
Não é um discurso sobre o fim do mundo, mas, ao contrário, o convite a viver bem o presente, a estarmos vigilantes e sempre prontos para quando formos chamados a prestar contas da nossa vida. A história da humanidade, assim como a de cada um de nós, não pode ser entendida como uma simples sucessão de palavras e de acontecimentos sem sentido. Também não pode ser interpretada à luz de uma visão fatalista, como se tudo já estivesse preestabelecido, segundo um destino que subtrai todo o espaço de liberdade, impedindo que se façam escolhas que sejam fruto de uma verdadeira decisão. Pelo contrário, no Evangelho de hoje, Jesus diz que a história dos povos e dos indivíduos tem um fim e uma meta a alcançar: o encontro definitivo com o Senhor. Só disporemos daquilo que realizamos nesta vida, acreditando na sua Palavra: o tudo e o nado daquilo que vivemos ou que deixamos de fazer. Só levaremos conosco o que doarmos. (Fonte: www.vatican.va/content/francesco/pt/angelus/2018)

Padre Rafael Moreira Campos
Adm. Paroquial Paróquia Nossa Senhora de Fátima – Pres. Venceslau/SP
"Ouse ser o melhor. Ame!"
Instagram @padrerafaelmoreira
Facebook www.facebook.com/rafaelmoreiracampos
Informações: Cúria Diocesana (18) 3918-5000
 

Veja também