Parceiros assinam acordo para implantar centro de fomento à batata-doce em Prudente

Iniciativa recebeu emendas impositivas de R$ 140 mil para compra de equipamentos laboratoriais; projeto visa desenvolver produtos derivados da raiz

PRUDENTE - DA REDAÇÃO

Data 25/05/2021
Horário 17:03
Foto: Mariana Padovan/Secom
Acordo de cooperação técnica foi assinado na manhã desta terça-feira
Acordo de cooperação técnica foi assinado na manhã desta terça-feira

A Prefeitura de Presidente Prudente, a Unoeste (Universidade do Oeste Paulista), a Acipp (Associação Comercial e Empresarial de Presidente Prudente) e o Instituto do Oeste Paulista de Turismo & Eventos assinaram o acordo de cooperação técnica para a implementação de um centro de pesquisa e difusão de tecnologias, que será destinado ao programa de apoio à agricultura familiar, visando o desenvolvimento de produtos derivados da batata-doce. O ato aconteceu no gabinete do Paço "Florivaldo Leal", na manhã desta terça-feira.

O presidente da Câmara Municipal, Demerson Dias (PSB), e o vereador Enio Luiz Tenório Perrone (DEM), representado pelo assessor Fábio Santos, compareceram para formalizar o repasse de duas verbas impositivas no valor total de R$ 140 mil, sendo R$ 70 mil de cada representante do Legislativo.

Conforme consta no plano de trabalho do projeto, o repasse será destinado à compra de equipamentos para o Laboratório de Processamento e Desenvolvimento e para o Laboratório Analítico. Dentre os itens a serem adquiridos, estão refrigeradores, fornos, prensas, descascadores, processadores de alimentos, balanças e uma microcervejaria, dentre outros com funções laboratoriais.

Pelo desenvolvimento

O pró-reitor acadêmico, Eduardo Creste, agradeceu em nome da Unoeste. “A universidade se sente honrada em participar desta parceria. É uma iniciativa brilhante, com o intuito de agregar a renda do produtor rural”.

A coordenadora de ações extensivas da Unoeste, Cidinha Martines, agradeceu pela sensibilidade do projeto, que tem como finalidade o incentivo à agricultura familiar. “Hoje, 66% da produção de batata-doce do município é proveniente da agricultura familiar. É a primeira vez que se vê uma liderança tão participativa, em prol do agronegócio. Agradecemos e nos colocamos à disposição”.

Também representando a Unoeste, o pró-reitor de pesquisa, Adilson Guelfi, ressaltou o empenho de todos os envolvidos para que o projeto fosse assinado e se comprometeu com o desenvolvimento da região. “A competência técnica nós temos e fica nosso comprometimento em desenvolver a região”.

Conforme o relato do presidente da Acipp, Ricardo Anderson, a agricultura está presente nos mais de 90 anos de existência da instituição. “É uma iniciativa que trará desenvolvimento e geração de emprego”.

Já Rubens Afonso, que esteve presente como representante do Instituto do Oeste Paulista de Turismo & Eventos, evidenciou a importância da criação da Seagri (Secretaria Municipal de Agricultura) e da disponibilidade de toda a equipe da administração municipal.

Por fim, o prefeito Ed Thomas (PSB) discursou sobre a importância desse projeto e da vontade de fazer Prudente uma referência de produção e tecnologia. “A batata-doce é nossa maior riqueza e precisamos nos orgulhar do que a gente produz. Peço ajuda da universidade, que detém a expertise. Peço que debrucem sobre esse projeto. Vamos trabalhar para alcançar o desenvolvimento, para sermos referência da matéria-prima e também da sua diversidade”.

Objetivos do projeto

Presidente Prudente e região são responsáveis por um terço, ou 32%, da produção total de batata-doce do Estado, além de ser a segunda principal região produtora do Brasil e referência nacional de exportação, conforme dados de 2020 do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

O estudo para a implantação do projeto de fomento detém uma lista de objetivos a serem alcançados. Dentre eles: promover o investimento científico e tecnológico visando maior competitividade na cadeia produtiva; desenvolver e selecionar novas cultivares, bem como aprimorar técnicas; valorizar a produção local e o produtor familiar; promover o desenvolvimento regional, a movimentação financeira e a geração de empregos; e colaborar com o turismo regional e a gastronomia.

Serão contemplados pequenos e médios produtores de batata-doce e empresas/indústrias de pequeno, médio e grande porte.

Quando totalmente implantado, com laboratórios equipados, o objetivo é gerar uma gama significativa de subprodutos derivados da batata-doce, bem como difundir novas técnicas e tecnologias que integrem a produção e industrialização, além do produto in natura, agregando valor à cadeia produtiva.

Veja também