Professor Lugo morre aos 90 anos

PRUDENTE - HOMERO FERREIRA

Data 04/12/2019
Horário 05:11
Cedida - Professor Lugo: nome eternizado na história de Prudente
Cedida - Professor Lugo: nome eternizado na história de Prudente

Presidente Prudente perde um de seus mais ilustres homens públicos: o ex-vereador Luiz Gonzaga dos Santos (1929-2019), o professor Lugo. Sua morte ocorreu às 7h45 de ontem, por questões de saúde, na Casa de Repouso Tom de Amor. O sepultamento foi às 17h, no Cemitério Municipal Campal. O paulista de Ribeirão Preto, que chegou a Prudente no ano de 1951 para dar aulas no então IE (Instituto de Educação) Fernando Costa, se fez notável pelo saber e o bom senso que foram fundamentais para passar pela vida pública com retidão.

Antes de ingressar no magistério tinha sido seminarista, onde seu interesse foi despertado para o aprendizado de letras e as línguas portuguesa, latina a grega, além do alemão, pela convivência com padres dessa nacionalidade. Sua formação superior foi pela PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Campinas. O internato no Seminário dos Padres Redentoristas de Aparecida do Norte decorreu do fato ter ficado órfão de mãe aos sete anos de idade.

Nascido em 8 de março de 1929, Luiz Gonzaga foi o oitavo de nove filhos do comerciante Rosalvo e da senhora Maria do Patrocínio. Quando tinha quatro anos, a família mudou-se para Sorocaba, onde morreu sua mãe. Aos 10 anos foi para o seminário e de lá saiu com 17. Voltando para Sorocaba, iniciou a carreira de professor em curso primário. Tomou gosto e foi cursar Letras Neolatinas na PUC e quando cursava o último ano, em 1951, começou a lecionar em Prudente.

Por um ano manteve a rotina de viagens para continuar os estudos em Campinas e dar aulas em Prudente, inicialmente como substituto de uma professora em licença-maternidade. Depois, permaneceu no IE e fixou residência na cidade que escolheu para viver o restante de sua vida, onde antes já vivia uma sua irmã, que o tinha convidado para substituir a professora. Sua boa formação e a afetividade com os alunos resultaram em respeitosa intimidade e dela surgiu o “professor Lugo”.

Em 1960, casou-se com a professora Yolanda. Tiveram três filhos: Luiz Antonio, Luiz Fernando e Luiz Augusto, que lhes deram quatro netos. São eles: Gabriel, Vitor, Arthur e Mayne, que deu aos seus avós o bisneto Pedro. O professor Lugo lecionou por 27 anos no IE Fernando Costa e também deu aulas nos colégios Joaquim Murtinho, Cades e Cristo Rei. Lutou pelas instalações de cursos superiores, inicialmente com a Fafi (Faculdade de Filosofia), instalada em 1960, e que deu origem ao campus da Unesp (Universidade Estadual Paulista).

Também deu aulas na então ITE (Instituição Toledo de Ensino) e no curso de formação de Soldados do 18º Batalhão de Polícia Militar. Foi quem proferiu a aula inaugural do Seminário Diocesano de Prudente, a escola de formação de padres. Foi vereador de 1979 a 1988 e ocupou por duas vezes a presidência da Câmara, nos mandatos dos prefeitos Paulo Constantino e Virgílio Tiezzi Júnior. Em 2013, por iniciativa do vereador Ênio Luiz Tenório Perrone (PSD), recebeu o título de Cidadão Prudentino.

Ao se aposentar como professor doou sua rica biblioteca pessoal para a Associação Luso-Brasileira. Por muito tempo foi conselheiro, especialmente dos amigos políticos que lhe procuravam para orientar em tomadas de decisões. Durante alguns anos viveu em plena sintonia com a natureza, cultivando plantas no balneário Thermas, numa ação voluntária que incluiu o plantio de mudas de árvores, compradas com seu próprio dinheiro.

Por 40 anos, sua residência foi atrás do Colégio Cristo Rei, na Vila Estádio, até a morte da professora Yolanda no dia 25 de março deste ano. Para não ficar só e receber cuidados especiais, já aos 90 anos de idade, passou a morar em uma casa de repouso. Mesmo afastado do magistério e da política, o professor Lugo continuou sendo amado e admirado por muita gente, por sua trajetória de retidão e de compromisso com o bem comum. É assim que deixa o seu nome eternizado na história de Prudente.

Veja também