Programa presta atendimento a 879 soropositivos de Prudente

Em campanha focada no Dia Mundial da Luta Contra a Aids, população teve acesso gratuito a 5 mil testes rápidos

PRUDENTE - MELLINA DOMINATO

Data 02/12/2016
Horário 08:36


Ontem, no Dia Mundial da Luta Contra a Aids, o Programa DST/Aids de Presidente Prudente encerrou os trabalhos da 9ª Campanha Fique Sabendo. Desenvolvida permanentemente na cidade nas UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e ESFs (Estratégias de Saúde da Família), a ação promoveu, desde o dia 25 de novembro, 5 mil testes rápidos de HIV e sífilis também em uma unidade móvel no campus 1 da Unoeste (Universidade do Oeste Paulista) e no AME (Ambulatório Médico de Especialidades). Um balanço da atividade será divulgado na segunda-feira pela coordenação do programa, que atualmente presta acompanhamento a 879 soropositivos.

Jornal O Imparcial Unidade móvel do Programa DST/Aids realizou exames gratuitos durante uma semana, no campus 1 da Unoeste, em Prudente

O coordenador do programa, Jefferson Antônio Saviolo, explica que a campanha é promovida na cidade ininterruptamente, no entanto, durante a nona edição, houve ações intensificadas, levando em conta o Dia Mundial da Luta Contra a Aids. Frisa que foram disponibilizados, durante sete dias, 2,5 mil testes rápidos de HIV e a mesma quantidade para sífilis. "Se alguma pessoa não conseguiu fazer os testes durante essa semana, pode procurar as unidades de saúde ou o próprio programa. Primeiro ela vai fazer uma entrevista, espécie de pré-aconselhamento, a avaliação e um pós-aconselhamento com entrega de resultado", detalha.

Sobre os atendidos pelo programa, Jefferson diz que atualmente 879 pessoas recebem acompanhamento multiprofissional, que inclui tratamento psicológico, consultas, exames, além de todo equipamento necessário para tais procedimentos. "A procura por testes tem sido maior a cada ano, assim como a aceitação do teste rápido. Mas, acredito que ainda falta conscientização, principalmente pela faixa de maior incidência, composta por homens, homossexuais, com idades entre 20 e 35 anos", diz.

 

Dados estaduais


Dados da Secretaria de Estado da Saúde sobre um estudo realizado por meio de seu CRT/DST-Aids (Centro de Referência e Treinamento em DST/Aids) mostram que, embora a mortalidade por aids esteja diminuindo no território paulista, a detecção das novas infecções pelo HIV cresceu exponencialmente entre jovens homossexuais. Frisa a Assessoria de Imprensa da pasta que no ano passado morreram 2.573 pessoas com aids em todo o Estado, o que representa uma média de sete óbitos por dia.

Aponta que a detecção de novas infecções pelo HIV entre homens que fazem sexo com homens apresentou aumento de 121% desde 2010, passando de 1.686 casos para 3.728 em 2015. No mesmo período, a detecção entre homens heterossexuais também cresceu, mas em uma proporção bem menor: 28%.

As taxas de detecção do HIV na população como um todo cresceram 4,2 vezes entre 2000 e 2015, passando de 4,2 para 17,6 casos por 100 mil habitantes no período. Mas entre os homens o crescimento no período foi maior: 6,5 vezes, contra 1,8 no caso das mulheres.

No levantamento, a pasta não divulgou dados municipais, informações que cabem à Vigilância Epidemiológica Municipal. Procurada, esta informou que, por conta do horário de expediente, estava impossibilitada de fornecer informações à reportagem na tarde de ontem.

 

Veja também