Prudente é a 4ª região do Estado com maior taxa de mortalidade infantil em 2020

Dados da Fundação Seade mostram que em 2019 a taxa foi de 9,80%, enquanto no ano passado o número subiu para 10,46%

REGIÃO - WEVERSON NASCIMENTO

Data 23/11/2021
Horário 04:01
Foto: Breno Esaki/Agência Saúde
Região contabilizou 9.462 nascidos vivos e 99 óbitos infantis
Região contabilizou 9.462 nascidos vivos e 99 óbitos infantis

Um estudo publicado pela Fundação Seade (Sistema Estadual de Análise de Dados) mostra que Presidente Prudente é a quarta região do Estado com maior taxa de mortalidade infantil por mil habitantes em 2020, atrás da Baixada Santista, Registro e Itapeva. Em 2019, a taxa de mortalidade foi de 9,80%, enquanto em 2020 o número subiu para 10,46%.
Ainda conforme a Seade, em 2020, a taxa de mortalidade infantil na Região Administrativa de Presidente Prudente foi de 10,46 óbitos de menores de um ano por mil nascidos vivos. Neste período, a região contabilizou 9.462 nascidos vivos e 99 óbitos infantis. 
As principais causas da mortalidade infantil, segundo o estudo, englobam algumas afecções originadas no período perinatal, malformações congênitas, doenças infecciosas e parasitárias, e doenças do aparelho respiratório, que, em conjunto, concentraram 88% dos óbitos em 2020 e 90% em 2019. Entre esses dois anos foram observadas duas tendências: redução na participação das afecções perinatais, doenças infecciosas e do aparelho respiratório; e aumento na proporção das malformações congênitas e demais causas de morte.

Desempenho por região

Conforme a Fundação Seade, o decréscimo da mortalidade infantil entre 2019 e 2020 induziu maior homogeneidade regional, pois nas regiões com taxas mais elevadas foram registradas as maiores reduções: Ribeirão Preto (29%), Baixada Santista e Itapeva (25%), Araçatuba e Registro (19%), Sorocaba (17%). Em 2020, as maiores taxas ocorreram na Baixada Santista (11,1 óbitos por mil nascidos vivos), Registro (10,7), Itapeva e Presidente Prudente (ambas com 10,5), enquanto as menores foram observadas em São José do Rio Preto (7,8), Ribeirão Preto (8,6) e Campinas (8,9).
O professor de história, geografia e sociologia, Marcos Lupércio Ramos, destaca que esses números refletem a conjuntura econômica, aumento da pobreza, política e negacionismo. Ainda em sua avaliação, pontua que a região de Presidente Prudente depende muito do comércio e serviços, áreas bastante impactadas pela pandemia. “Houve aumento do desemprego com queda de renda, um consequente aumento da pobreza. Outro fator pode estar relacionado ao descaso dos pais em relação à vacinação”, enfatiza.

DADOS DA 10ª REGIÃO ADMINISTRATIVA DO ESTADO

Região de Presidente Prudente

Períodos

Taxa de Mortalidade Infantil Geral

Nascidos Mortos

Nascidos Vivos (por local de residência)

2020

10,46

99

9.462

2019

9,80

96

9.798

Fonte: Fundação Seade

Veja também