Prudentinos ganham Bolsa Atleta

Três badmintonistas da Semepp/Adoar e Sesi-SP e três beisebolistas da Acae são os contemplados com auxílio financeiro do Ministério da Cidadania, pelos resultados que tiveram em 2018

Esportes - OSLAINE SILVA

Data 03/01/2020
Horário 05:03
Cedida / Mario Kaneki - Guilherme Takahashi foi vice-campeão adulto de beisebol no Sul-Americano, na Argentina Foto: Cedida / Mario Kaneki - Guilherme Takahashi foi vice-campeão adulto de beisebol no Sul-Americano, na Argentina

Os badmintonistas Enzo Anzai, da equipe Semepp/Adoar, e Caio Henrique da Silva e Rogério Junior Xavier de Oliveira, ambos do Sesi-SP (Serviço Social da Indústria), além de três atletas de beisebol da Acae (Associação Cultural, Agrícola e Esportiva) de Presidente Prudente, Daniel Pinheiro Miranda, Guilherme Mitsuo Kaimoti Takahashi e Gustavo Cardoso Macena, foram contemplados com a Bolsa Atleta 2019, categoria Internacional. 

A lista dos que ganharam a oportunidade de receber esse auxílio financeiro em função dos resultados apresentados no ano 2018 foi divulgada pelo Ministério da Cidadania, por meio da Secretaria Especial do Esporte, em publicação no Diário Oficial da União na última segunda-feira.

Segundo o coordenador do badminton prudentino, Edmilson Anzai, que é pai de Enzo Anzai, o filho foi um dos contemplados por conta de suas duas medalhas de bronze no Sul-Americano, em Lima, no Peru. “Com esta notícia, o badminton prudentino fechou o ano de 2019, com o reconhecimento de ser um importante polo esportivo da modalidade.  Para 2020, a Bolsa Atleta Internacional do Enzo deve estar garantida em função da conquista da medalha de ouro no Sul-Americano em Guayaquil, no Equador, em 2019, caso o governo federal não corte a subvenção desse auxílio financeiro pós-olimpíadas”, declara.

Além do Enzo, a cidade ainda teve mais dois atletas de badminton e mais três atletas de beisebol que foram agraciados com a Bolsa Atleta Internacional.  “O que confirma que Prudente é um celeiro esportivo e formador de grandes atletas”, completa Edmilson.

Mayara Bacarin Bressanin, treinadora do Sesi, acentua a bolsa com sendo um incentivo a mais para os atletas na busca por resultados cada vez melhores. “Nossos atletas retornam às atividades no dia 10 de janeiro e as competições se iniciam nas primeiras semanas de fevereiro com o 1º Brasileiro Interclubes de Badminton, de 5 a 9, em Salvador [BA] e do 2º Brasil Internacional de Parabadminton, de 10 à 15, no CPB [Centro Paraolímpico Brasileiro] em São Paulo. O ano de 2020 promete muitas conquistas para os atletas Sesi-SP”, frisa Mayara.

UM INCENTIVO AOS

ATLETAS AMADORES

O beisebolista Mario Kaneki, um dos treinadores da Acae, exalta que “a bolsa é um incentivo primordial para o esporte amador, como beisebol que é uma modalidade olímpica”. Segundo ele, em 2019 a associação foi sucesso total, tendo como um dos destaques Rodrigo “Bo” Takahashi, o arremessador que atua há seis anos nos Estados Unidos, premiado como o melhor atleta olímpico e selecionado para compor a equipe do Arizona Diamonbacks, time principal da MLB (Major League Beisebol) das Grandes Ligas Americanas.

“O Gustavo e o Miranda são meninos novos, 15 anos, que ficaram entre os três melhores atletas do Pan-Americano, no México. E o Guilherme foi vice-campeão adulto no Sul-Americano, na Argentina. O que lhes rendeu essa conquista. É uma forma realmente de motivação aos garotos que se dedicam ao beisebol brasileiro”, enfatiza Mario Kaneki, destacando ainda que mais um atleta prudentino, Nikcolas Kayo, 15 anos, está indo para Ibiúna (SP) para treinar no CT (Centro de Treinamento) da Yakult, juntamente com Gustavo Macena e Emmanuel Madeira, patrocinados pela Major League Beisebol e, se manterem o alto rendimento, podem chegar aos Estados Unidos.

Foto: Cedida / Edmilson Anzai

Ouro no Equador deve garantir mesmo benefício a Enzo em 2020

Veja também